Archive for fevereiro \29\UTC 2012

Conhecendo a Irlanda

Vocês já me conheceram através do meu perfil, mas agora é hora de inaugurar a seção “Irlanda” do blog! Para quem está pensando em vir pra Irlanda ou apenas conhecê-la um pouco mais. Há alguns pontos que gostaria de compartilhar e para isso elaborei um tipo de FAQ para tirar as principais dúvidas pertinentes de quem esteja querendo escolher a Irlanda como sua casa por um tempo.

1 ) É fácil entrar na Irlanda pela imigração?
R.: Of course guy! Você só precisa de um passaporte, de um curso de inglês comprado ainda no Brasil, d’uma acomodação temporária (hostel ou casa de família), do seguro obrigatório governamental e 3 mil Euros disponíveis para comprovação.
Então seja bem-vindo a Irlanda!

2 ) Por que escolher a Irlanda?
R.: Porque aqui é falado o inglês mais complicado do mundo, acredite! Se você aprender a falar inglês aqui, falará inglês em qualquer lugar do mundo, esta é uma vantagem que ninguém irá lhe tirar. Outra vantagem é que aqui é um dos poucos países dos quais você poderá ficar por pelo menos um ano. A maioria dos países permite ficar 4 ou 6 meses.

3 ) Como é o clima na Irlanda?
R.: Basicamente frio, ventoso e húmido. Em alguns momentos, gelado. Isso falando do verão mais forte que ocorre entre Julho e Agosto e no ano de 2011 a máxima não passou dos 24º (aconteceu em dois dias apenas). Mas a média no verão é de 18º, ou seja, tiveram dias frios neste verão. Setembro é o mês que começa o Outono, mas basicamente não há Outono aqui, pula-se direto pro Inverno. Esperou-se que em Novembro/2011, pelas notícias da TV, que o Inverno deveria chegar cedo e esperou-se neve já para Novembro, mas isso não aconteceu. Tirando o frio, choveu todos os dias. Tudo bem que foram garoas e geralmente você consegue sair embaixo dela, mas em determinados momentos é necessário uma capa de chuva, pois com o vento não há sombrinha que aguente. Como a neve não veio na Irlanda, fomos atrás dela em Oslo, hehe!

4 ) Como estão os empregos na Irlanda?
R.: Não podemos mentir pra vocês e dizer que está mil maravilhas, há uma “crise” e inclusive para cleaner (faxineiro) pede-se inglês fluente. Como a Irlanda é o país que possui o mais alto salário mínimo, 8,65 euros por hora, isso atrai muitos estudantes e existem poucas vagas, até porque os jovens irlandeses ganham auxílio do governo e não precisam trabalhar (ganham o correspondente a 200 euros por semana). Para as meninas intercambistas é um pouco mais fácil, porque tem empregos de au pair que aparecem a todo momento e geralmente com um ou dois meses elas estão empregadas. Mas para os meninos, está realmente péssimo. Vejo muitos voltando no sexto mês para o Brasil porque acabaram o curso de inglês e por não terem conseguido nenhum emprego fixo, só bicos. E vejo muitos também voltando no sexto mês sem terem conseguido nem bico. Mas tem algumas pessoas que tiram a sorte grande e conseguem emprego na terceira semana, no segundo mês. Depende muito da sua sorte também. Mas a maioria é isso ali de cima. Além de que, não muito diferente do que acontece no Brasil, a maioria dos empregos são por QI (Quem Indica), então você precisa ter uma boa rede de relacionamento.

5 ) Como são as escolas de inglês na Irlanda?
R.: Geralmente muito boas. Na escola que estudamos há professores maravilhosos e todos os alunos falam bem da escola. Fazendo amizades com  pessoas que estudam em outras escolas, e ela também falam bem delas. Mas, como toda empresa, há seus problemas de organização.

6 ) Tem muito brasileiro na Irlanda?
R.: Ixe, e como! Aos lotes! É difícil a vez que você sai na rua e não ouve alguém passando por você falando português. Sempre tem. Mas também tem muito, muito polonês e geralmente perdemos empregos pra eles por eles serem europeus. Tem muito italiano e agora nos últimos meses uma imigração de venezuelanos incontáveis. Mas brasileiro tem sim. Não adianta escolher uma escola cara, porque lá terá brasileiros. Vai por mim. Pague barato na escola porque tem escola boa, bonita e barata. Do brasileiro você não vai fugir, pelo contrário, vai precisar dele quando chegar aqui!

7 ) Você está gostando da Irlanda?
R.: Definitivamente sim. Adoro essa arquitetura inspirada na Inglaterra, ou melhor, que a Inglaterra construiu para os irlandeses. Gosto do povo que geralmente é honesto e tem espírito de querer ajudar. Adoro o modo como se preocupam com o estrangeiro, mesmo que eles existam aqui aos lotes. É um lugar legal sim de viver.

8 ) É verdade que o país está em crise?
R.: Sim, é a mais pura verdade. O salário mínimo chegou a ser reduzido, por incrível que pareça. O país quebrou similarmente a Grécia, pois não conseguiu se adequar neste curto espaço de tempo as novas regras da União Européia. É complicado mudar uma economia de uma hora pra outra, logo, não está sendo fácil pra eles. Imaginem para nós. Eles agora também trabalham de au pair, cleaner, waiter (garçom)… Mais concorrência.

Bom, espero ter apresentado um pouco da Irlanda pra você! Todos os pontos devem ser ponderados e lembre-se que muitas vezes a sorte bate na sua porta antes que você possa imaginar, então, não desanime! Mas, venha com estes pensamentos para que você não se fruste no terceiro mês, all right?

Algumas imagens que registrei na Irlanda, aproveitem!!!

Este slideshow necessita de JavaScript.

E aí, tem mais dúvidas sobre a Irlanda? Deixe seu comentário!

Big hug for all!!!

A participação da Deyse no blog foi encerrada, mas fiquem à vontade para entrar em contato com ela!

 

Deyse Santos, direto de Dublin, Irlanda.

Este é o post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Facebook

Um passeio no Mercado do Peixe!

Moçambique é um paraíso pra quem gosta de camarão! De vários tamanhos e preparados de diversas formas, aqui camarão não é luxo como em São Paulo, por exemplo. E tenho que anunciar: AQUI COMI O MELHOR CAMARÃO EM TODA A MINHA VIDA!

Esse camarão sensacional foi preparado no Mercado do Peixe, um dos pontos turísticos obrigatórios pra quem vem pra Maputo. Do lado de fora você encontra de tudo, de amendoim a fogos de artifício na época des festas de fim de ano! Já na porta, muitos profissionais dos restaurantes que ficam aos fundos do mercado, te abordam para que você compre os peixes e crustáceos e prepare nos restaurantes deles. O jeito é dar uma de cliente que só foi pra olhar e despistá-los! Rs…

Amêijoas no Mercado do Peixe!

Eles vendem de tudo, e vendem tudo fresco, logo o cheiro é de mar e não aquela coisa desagradável tipo “peixe fora do prazo”! Mas se você não “manja” de frutos do mar, é melhor levar alguém experiente, já que eles não possuem refrigeração e com certeza uma coisa ou outra pode “passar do ponto”. Lulas, camarões, peixes, caranguejos, lagostas, amêijoas e por aí vai! Os preços são ótimos mas é claro que “gringo” paga mais, então quando comprei pela 1ª vez, levei Dona Tereza e fiquei do lado de fora! 😉 Até porque, a balança as vezes também não é muito justa, então o jeito é ser esperto e pechinchar! Agora já estou esperta e sei direitinho me virar sozinha! E conto como comprar direitinho e aproveitar este passeio sem stress neste outro post! 🙂 Além de vender, eles também limpam os peixes pra você, o que facilita muito o serviço!

Eu e o nosso almoço que você vai ver preparado, já já! 🙂

Mas o mais gostoso, é escolher tudo fresquinho e levar para ser preparado nos restaurantes de lá mesmo. Tudo muito simples e caseiro, do jeito que eu gosto! O que assusta algumas pessoas é que pra tudo ficar pronto pode levar muuuuito tempo, tipo 2 ou 3 horas. Então, quando for ao Mercado do Peixe, vá com disposição e tempo. Ou então, compre os itens, mande preparar e vá dar um volta e buscar só depois! 😉 Do contrário, você vai se estressar e estragar um ótimo passeio! Um almoço com entradas (pão d’alho e amêijoas), guarnições (arroz, batata salada), bebidas e o “prato principal” (os camarões, peixe, caranguejo, por exemplo), pode sair por cerca de 500,00 MT, cerca de R$ 32,50. Foi num almoço desses, longo e divertido, que descobri essa delícia de camarão aqui embaixo preparado no restaurante “Belú”! Gente, que tempero! Humm… Infelizmente é inexplicável! 🙂

O melhor camarão que já comi na vida é o preparado no Mercado do Peixe, em Maputo!

Vai um camarãozinho, aí? 😛

*O Mercado do Peixe fica próximo ao Clube Marítimo na Av. Marginal. Não achei informações oficiais sobre os horários e dias de funcionamento, mas toda a vez que passo em frente está aberto! As 7h da manhã, mesmo no domingo, eles estão lá! Heheheh! Há vários restaurantes ao fundo do mercado, mas se quiserem ir ao Belú e tirar dúvidas com eles, liguem para o gerente Mario: (251) 826 302 220.

PS: Parece que o governo Chinês quer revigorar o Mercado do Peixe e para isso disponibilizou ao governo Moçambicano aproximadamente 11 milhões de dolares. Então, melhor visitar logo já que não dá pra saber se ele vai ficar melhor sem deixar suas raízes e características únicas! (leia mais aqui)

 Sâmela Silva, direto de Maputo, Moçambique.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Blog Pessoal | FacebookTwitter

Uma bandeira da cor do céu

Bandeira da Argentina

Hoje é o aniversário de 200 anos da criação do que viria a ser a bandeira argentina.  Para comemorar o bicentenário, o governo decretou um feriado excepcional (somente neste ano).

História da Bandeira Argentina

O processo de independência da Argentina durou de 1810 a 1816. No dia 27 de fevereiro de 1812, o general Manuel Belgrano (uma das figuras centrais desse processo), mandou içar e jurar uma bandeira que ele mesmo tinha desenhado e que possuía as cores celeste e branca, em uma cerimônia solene às margens do Rio Paraná, na vila que originou a cidade de Rosario. Neste lugar foi construído o Monumento Histórico Nacional a la Bandera, um dos cartões postais dessa cidade.

Essa bandeira tinha duas faixas brancas, com a faixa celeste ao meio. Mas ao contrário da crença popular, as cores não foram inspiradas no céu, e sim eram as cores de outro símbolo nacional, a escarapela. Segundo uma das versões, a escarapela tomava emprestadas as cores da dinastia dos Bourbons, da casa de Fernando VII, rei deposto da Espanha.

O governo, por razões políticas, desautorizou seu uso e ordenou que a bandeira usada fosse a mesma utilizada no Forte de Buenos Aires, que era a sede do governo na época (vermelha e amarela, cores da bandeira espanhola).

A celeste e branca passou a ser usada como bandeira do exército até ser adotada oficialmente como símbolo das Províncias Unidas del Río de la Plata (uma das denominações da República Argentina) em Julho de 1816, depois da independência, que tinha acabado de ser declarada no dia 09 de julho. Nessa ocasião, o desenho já tinha sido definido como duas faixas celestes com uma faixa branca central.

A primeira moeda argentina

O sol incaico, também chamado de Sol de Mayo, foi incluído em 1818 e aparece no centro da bandeira. É um sol com rosto humano que possui trinta e dois raios, dezesseis retos e dezesseis ondulados intercalados e figurava na primeira moeda argentina.

Em 1985 o Congresso Nacional estabeleceu por lei que o Sol de Mayo deveria aparecer em todas as bandeiras argentinas. Antes desta lei, a bandeira com o sol era utilizada apenas nas instituições oficiais.

O general Belgrano morreu no dia 20 de junho de 1820 e essa data foi escolhida para ser o dia da bandeira. Seu rosto também aparece nas notas de dez pesos atuais e há muitas ruas e inclusive um dos bairros da capital que homenageiam um dos pais da pátria.

Comemorações pelo Bicentenário:

Durante todo o fim de semana prolongado foram organizados vários eventos para comemorar o bicentenário. Em Buenos Aires organizaram um espetáculo musical que conta a história da bandeira, com participação de vários artistas populares, como a cantora Valeria Lynch.

Em Rosario, orgulhosamente chamada de la cuna (berço) de la bandera, os espetáculos começaram desde sexta-feira, com um show de um dos ícones do rock argentino, Fito Páez, que é rosarino.

O palco, como não podia deixar de ser, foi erguido aos pés do Monumento. Pena que eu não pude ir, a cidade de Rosario é muito bonita e eu adoro o Fito 😀

Monumento à Bandeira em Rosario (Argentina)

Mesmo depois do desenho da bandeira ter sido adotado oficialmente, a bandeira teve várias versões com pequenas diferenças. Veja aqui todas estas versões e também as bandeiras de cada província.

Gostaram de conhecer a história da bandeira argentina? E você, conhece a história da bandeira do seu país? Compartilhe com a gente!

Fernanda Galli, direto de Buenos Aires, Argentina.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Twitter | Facebook


Santiago de Querétaro – A menina dos meus olhos!

Pátio Barroco do Museo de Artes

A cidade de Santiago de Querétaro é uma cidade diferenciada. É colocar os pés lá e sentir um clima e uma sensação agradável. É uma cidade grande, sua população está estimada em 1.097,028 milhões de habitantes e cresce em um ritmo muito acelerado, comparada com algumas cidades da Europa. Ela é uma das cidades mais limpas do mundo e de fato é mesmo. A limpeza da cidade me surpreendeu assim que a conheci. Claro, como uma cidade grande e em desenvolvimento deve ter seus contras, mas eu ainda não os encontrei! 🙂

Quando se conhece Querétaro a sensação é que se encontrou uma cidade, diríamos quase perfeita. Limpa, organizada e bonita, tendo tudo o que você precisa para ter qualidade de vida e viver bem.

Sempre que vou lá, ela me remete automaticamente a uma cidade do interior do Brasil, mas com imensa infraestrutura. Tem um clima agradável quase o ano inteiro e detalhe, diferente de Celaya onde moro lá quase sempre garoa (isso me faz lembrar a terra da garoa, minha São Paulo amada!) tirando o pó horrível que cobre boa parte do centro do México.

Um bocado de Histórias

Passeio Turístico no "bondinho"

Queretáro é considerada “Cuna (berço) da Independência” do México. Logo na entrada da cidade tem uma placa enorme com essa frase. Existem muitas histórias a respeito da fundação de Querétaro, mas a mais aceita pelos historiadores foi que em 25 de julho de 1531 os habitantes indígenas da região, os Chichimeca teriam relatado que em uma de suas batalhas o apóstolo São Thiago (em espanhol Santiago) teria aparecido. Os Chichimeca teriam ficado aterrorizados com essa aparição e teriam se rendido. Por isso seu nome “Santiago de Querétaro”. Outros ainda dizem que a cidade apenas se formou depois da chegada dos espanhóis. A verdadeira história ninguém sabe, mas seja qual for a versão que você escolher, todas tem seu valor. E, falando em valor, mas precisamente em valor histórico e cultural, no Centro histórico da cidade está grande parte desse acervo. Sem dúvida é um dos grandes atrativos de Querétaro e deve é claro estar no roteiro de todos que vem conhecer o México. Ele (o centro histórico), é declarado Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO desde 1996. Quando conheci o lugar, eu me apaixonei! Foi amor à primeira vista! Me senti num filme do Zorro e não estou exagerando – principalmente pela Casa del la Corregidora. Quando entrei nela, achei que iria topar de cara com o Antônio Banderas hehehe!  Mas não é porque isso não aconteceu que o encantou acabou. Não! O centro histórico é um dos mais completos e lindos que já conheci (e olha que aqui no México toda cidade tem um centro histórico). E, para quem quer conhecer detalhes dessa cidade, no centro histórico tem um passeio em um “bondinho” com guia turístico. Eu recomendo, é muito bom!

Boa parte da rica história mexicana está toda ali; preservada pelas ruazinhas desse pedaço da cidade com sua bela arquitetura barroca esboçada por todos os cantos como se fossem pinturas. A impressão que tenho é que a cidade “grita” a sua história por todos os lados e não é difícil saber o porquê. Tudo está muito vivo ali – é como se apesar de todo o progresso da cidade, um pequeno canto ficasse  intocado por todos. É o “Rincón” preservado do México com muitos tesouros da humanidade! Andar pelas ruas, conhecer os templos e monumentos, topar com chafarizes e estátuas de personalidades da história mexicana estão incluídos no pacote pra quem quer conhecer Querétaro. Existem muitos mais pontos turísticos que vou relatando pouco a pouco, porque senão o post vai se tornar muito mais extenso, mas posso ir adiantando que além do centro histórico tão citado aqui, ainda existem templos, cemitérios, conventos e até um acueducto que corta parte da cidade, mas isso só no próximo post.

Independentemente da história, conhecer essa cidade deve fazer parte do roteiro de qualquer pessoa que venha nessa região do México. Uma cidade que oferece todo lazer e estrutura que você possa querer. Com bons hotéis e restaurantes, além de um leque de opções em entretenimento. Shoppings, aqui chamados de Galerias, museus e teatros – e mais, grandes shows e espetáculos acontecem por aqui.

Centro Histórico – Santiago Querétaro
Fonte – Centro Histórico, eu com meu filho João
Casa de la Corregidora
Índio Chichimeca – Centro Histórico Querétaro

Para ver mais fotos desta bela cidade, clique aqui e visite nosso álbum no Facebook!

Desenvolvimento e sustentabilidade

O nível de vida da cidade de Querétaro está avaliado como um dos melhores e mais caros lugares para se viver no México e na América Latina. A cidade tem baixa taxa de desemprego e criminalidade, e foi considerada em 2007 como uma das melhores cidades mexicanas para se fazer negócios –  é vista como uma cidade do futuro por muitos especialistas. A cidade cresce em ritmo acelerado, sendo também uma das mais limpas do mundo – ela foi avaliada junto com mais cidades da América do Norte no aspecto “potencial econômico a longo prazo” e nessa avaliação Querétaro ficou em quarto lugar. Com essa colocação acho que é mais fácil imaginar de que tipo de cidade estou falando, né?!

A cidade tem um projeto da secretária de desenvolvimento sustentável (Secretaría de Desarrollo Sustentable) muito interessante que me chamou atenção: “Querétaro se Mueve em Bici”. É um projeto que visa combater a emissão de gases poluentes emitidos pelos carros e outros meios de transportes, ajudando assim a preservar o meio ambiente e a saúde da população e ainda diminui o tráfego na área central da cidade. A secretária empresta as “bicis” na primeira uma hora; as horas seguintes são cobradas uma taxa de $5.00 pesos mexicanos, equivalente a R$0.72 centavos de reais. Para usar as bicis é necessário se inscrever e ter uma credencial. O projeto funciona de segunda a domingo das 8 horas da manhã até às 8 horas da noite. A “Bici” é um meio de transporte sustentável que melhora a vida de quem adere ao projeto. Estão disponíveis mais de 150 bicicletas e em 2011, a cidade criou uma lei única em todo o país para ajudar o ciclista à ter proteção legal. Todo ciclista tem obrigações e direitos como qualquer pessoa que dirija qualquer meio de transporte motorizado. Também com esse projeto a cidade está se remodelando e se ajustando para ter mais ciclovias.  No momento o projeto está focado mais na zona central da cidade, porque é o lugar onde tem maior fluxo de congestionamento, mas a intenção é implantar o mesmo projeto para outras zonas da cidade.

A cidade é um exemplo em todo México, sendo a primeira cidade no México a adotar um projeto como esse.

Quer pedalar e de quebra conhecer um Patrimônio Cultural da Humanidade? Tenho certeza que o lugar certo é o México!

Quer mais informações turísticas sobre Querétaro? Clique aqui!

Já tinha imaginado uma cidade assim no México? Fale pra gente o que achou e não deixe de visitar o álbum de fotoscompleto em nossa página no Facebook!

 

Maira Gardini, direto de Celaya, México.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Facebook

Apresentando Hong Kong!

Sempre tive uma grande vontade de conhecer a China, tinha esperança de que um dia isso aconteceria e, quando surgiu a oportunidade, não pensei duas vezes, vim cheia de curiosidade para esta terra tão diferente da minha. Como muita gente sabe, China é um país com grandes proporções, é o mais povoado e o terceiro maior do mundo depois de Rússia e Canadá. O país está aumentando e crescendo cada vez mais, transformando-se em uma superpotência econômica. O idioma oficial é o mandarim, mas em algumas cidades como Hong Kong e Macau o cantonês é o idioma mais falado.

Há sete meses estou morando em Hong Kong. Gostaria de compartilhar com vocês um pouquinho dessa aventura que é morar na Ásia, e aproveitar para apresentar esta cidade tão surpreendente.

A primeira sensação que tive ao chegar aqui foi de deslumbramento. Cheguei à noitinha quando todas as luzes  já estavam acesas, todos os prédios iluminados… fiquei sem palavras. À noite a cidade é simplesmente impressionante!

Hong Kong é uma ilha que foi colônia britânica até 1997, quando foi devolvida à China. Apesar de depender de um país comunista, em seu território se pratica um capitalismo extremo. É uma Região Administrativa Especial da República Popular da China e seu nome significa Porto Perfumado em cantonês.

As zonas urbanas estão altamente povoadas, isso faz com que o metro quadrado tenha preço de ouro, e por essa razão a cidade é considerada uma das mais caras do mundo para se viver. Fiquei surpreendida pela quantidade de parques distribuídos pela região, não esperava encontrar tanta área verde preservada, achei que por ser uma cidade muito movimentada, com edifícios altíssimos por todos os lados, seria um lugar sem muita natureza por perto. Nada disso! Mais de 75% do seu território são reservas naturais. Os mais de 7 milhões de habitantes ocupam os 25% restantes da ilha. Isso nos faz entender o porquê de preços tão exorbitantes para moradia: muita gente para pouco espaço.

Uma das grandes atrações da cidade é Victoria Peak, carinhosamente chamado the Peak, um dos pontos mais altos da ilha (aproximadamente 552 metros de altura) e também um dos mais bonitos e charmosos. Para chegar até o topo da montanha pode-se tomar o Peak Tram – um bondinho no estilo daquele que sobe para o Corcovado no Rio de Janeiro. Visitar Hong Kong e não ir ao Peak é como ir ao Rio e não conhecer o Pão de Açúcar e o Cristo Redentor.

Os chineses são muito superticiosos, a maioria das construções e decorações segue as leis do Feng Shui. O vermelho é a cor da boa sorte e está por todas as partes; o número 4 é considerado o número do azar e sequer consta em alguns elevadores de prédios de alta categoria, já o número oito é considerado número da sorte.

No meio de tantos turistas, gente andando de um lado para outro, câmeras fotográficas disparando a todo momento, perceber os conceitos do budismo pode não ser uma tarefa assim tão fácil, no entanto, se prestarmos bastante atenção, perceberemos alguém murmurando uma oração aqui, inclinando levemente a cabeça em uma saudação respeitosa ali e, quase sempre, carregando incensos. Os fiéis levam frutas como oferendas para os deuses.

Monastério de Po Lin

A culinária chinesa é bem variada, come-se principalmente carne (porco e frango), frutos do mar, legumes e molhos picantes. Gostaria de esclarecer também que em nenhum lugar encontrei pessoas comendo bichos como: barata, besouro e cobra. Talvez na China Continental seja mais comum consumir alguns “bichinhos rastejantes”, mas aqui nunca vi. O turista notará, ainda assim, alguns costumes peculiares. Por exemplo, é muito comum encontrar pequenas lojas que exibem patos pendurados um ao lado do outro, com a pele amarelada meio dourada e com a cabeça, e também diferentes tipos de carnes condimentadas e camarões secos. Esses estabelecimentos costumam ter um cheiro forte e desagradável.

Além da comida cantonesa, que na minha opinião é muito saborosa, há restaurantes com comida internacional por todos as partes, principalmente em Soho, um bairro charmoso e excelente para badalar.

Há ainda outros detalhes que chamam  a atenção de quem vem por primeira vez:

A cidade no verão é muito quente, todo e qualquer lugar tem o ar condicionado ligado em uma temperatura muito fria. É desagradável sair do calor das ruas e entrar em ambientes fechados… é fácil ficar resfriado com essas mudanças bruscas de temperatura. Portanto, mesmo no verão, sempre levo uma blusa quentinha na bolsa.

A moeda é o dólar de Hong Kong e tem um sistema único no mundo todo, é emitido por três bancos diferentes: HSBC, Standard Chartered e Bank of China. Cada banco coloca um desenho diferente em suas cédulas.

Em algumas ruas é proibido fumar, há placas que indicam isso e já estipulam o valor da multa que a pessoa deve pagar. Em alguns lugares custa 5.000 doláres de Hong Kong, aproximadamente 1.300 reais.

Os edifícios imponentes e os hotéis de cinco estrelas são de primeiro mundo, porém nem tudo aqui é assim, há também lugares mais simples, prédios feios, varais velhos com roupas penduradas nas janelas, barracas que vendem pequenas porções de comida  na rua e muita poluição visual.

Para fechar a apresentação da cidade, quero mencionar a Sinfonia das Luzes, um espetáculo que se repete todos os dias às 20h. As duas primeiras linhas dos edifícios mais impactantes da cidade, durante aproximadamente 15 minutos, fazem um show de luzes sincronizado com música. Pode ser desfrutado do porto,  mas também é uma boa ideia assisti-lo a bordo de um barco. Vale a pena conferir!

A cidade tem ainda muito mais para oferecer: praias, shoppings, festivais e uma vida cultural intensa.

Então, ficaram animados para visitar  Hong Kong?

Caso alguém tenha algo mais para acrescentar sobre a cidade, sinta-se à vontade!

Daisy Schäfer, direto de Hong Kong, China.

Todos os posts | Perfil | Facebook

Mejor en bici!

Os benefícios da magrela

Buenos Aires tem uma geografia ideal para quem gosta de andar de bicicleta. A maior parte da Capital Federal é plana ou apresenta ladeiras moderadas, principalmente nas áreas mais próximas ao Rio de la Plata.

Aproveitando esse fator e seguindo o exemplo de outras capitais do mundo, como Paris, Barcelona e Amsterdam, o governo de Buenos Aires conta com um sistema para incentivar o uso da bicicleta como meio de transporte ecológico e sustentável.

Já são 20 estações para retirar as bicicletas gratuitas

O programa Mejor en Bici contempla a construção de ciclovias protegidas e integradas (já são 76km de ciclovias existentes) além de possuir um sistema de transporte público (bicing) onde os residentes registrados no programa podem retirar bicicletas em várias estações espalhadas na cidade e utilizá-las por até 1 hora gratuitamente, entre outros benefícios. Esse serviço funciona de segunda a sexta entre as 8 e 20 horas e aos sábados de 9 a 15 horas.

No terceiro domingo de cada mês organizam as bicicleteadas, que são passeios em grupo por diferentes circuitos. O principal objetivo deste evento é incentivar a prática de esportes e a atividade física. No fim do passeio, há sorteios de bicicletas, roupas esportivas e acessórios (tênis, capacetes) entre os participantes. A atividade é aberta a todos, mas cada um tem que ir com sua própria bicicleta.

Rede de ciclovias de Buenos Aires

Opções para turistas:

A Secretaria de Turismo também aderiu a essa iniciativa e passou a oferecer passeios guiados pelos Bosques de Palermo para os visitantes, utilizando bicicletas elétricas que possuem acelerador e podem alcançar a velocidade de 30km/h. (que moleza :D)

Nessa etapa inicial do projeto, são dois passeios diferentes: o primeiro é para recorrer os parques e os monumentos dos bosques e passa pelo Campo de Polo, pelo Hipódromo e pelo Rosedal, entre outros lugares. Já o segundo quer unir os parques com os museus da zona e passa pela Plaza Francia e pelo Malba e o museu Sivori.

Cada um destes passeios tem duração aproximada de duas horas e contam com guias e assistência em português. A Secretaria de Turismo planeja  oferecer mais passeios em outras áreas da cidade, como San Telmo e a Boca, mas ainda sem data prevista.

Informações:

  • Preço: 70 pesos por pessoa
  • Saídas: diariamente, o ponto de encontro é no Planetario Galileo Galilei
  • Horários: 10:30hs a 12:30hs (tour parques e museus) e 14:30hs a 16:30hs (tour parques e monumentos)
  • Capacidade: grupos de 15 pessoas – apenas para maiores de 18 anos (é necessário fazer reserva)
  • Reservas por telefone:  4114-5791 (2a a 6a de 8 a 14hs) ou por email: turismoendosruedas@buenosaires.gob.ar

Além do programa do governo da cidade, há muitas empresas que alugam bicicletas e que também fazem passeios guiados com diferentes roteiros (Buenos Aires sul ou norte, passeio noturno, excursão ao Tigre)

A Bicicleta Naranja é uma delas, e permite retirar as bicicletas alugadas em vários endereços da cidade (Recoleta e San Telmo, por exemplo). A Urban Biking também oferece estes serviços, aqui o diferencial é que usam uma bicicleta ecológica feita de bambu nos passeios guiados.

Bicicleta feita de bambu

MAS ATENÇÃO: Na hora de sair de bicicleta pelas ruas de Buenos Aires, todo cuidado é pouco.

Usar capacete é fundamental.

Mantenha a atenção redobrada com o trânsito, pois o respeito aos ciclistas e também aos pedestres por parte dos motoristas (principalmente os motoristas de ônibus) deixa muito a desejar.  

A opção dos passeios em grupo com guias é melhor para quem não está acostumado a usar a bicicleta como meio de transporte e também por uma questão de segurança.

Por Fernanda Galli.

Vejam Maputo, que é tão difícil explicar em palavras!

É muito difícil representar qualquer cidade em palavras, porque os lugares sempre serão e terão muito mais do que conseguimos escrever. Maputo é assim. Apesar dos grandes contrastes sociais, é possível ver beleza por aqui se você estiver com o coração e os olhos abertos!

Através do vídeo abaixo, acredito que vocês conseguirão ter uma visão um pouco maior da capital moçambicana. Seus prédios, as ruas, o trânsito, os meios de transportes “chapas e machibombos” (vans e ônibus), avenidas principais, CFM (Caminhos de Ferro de Moçambique), Mercado do Peixe, os pescadores, o mar, as crianças, etc… Tudo isso junto e misturado, faz Maputo ter uma beleza única e pitoresca!

O vídeo também mostra um pouco de Joanesburgo na África do Sul, mas é muito fácil diferenciar uma cidade da outra, vocês vão ver!

Curtam um pouco do meu novo lar!

Vaya Moshibombo Vaya! (Go Bus Go!) from sydelle willow smith on Vimeo.

E aí, o que acharam de Maputo? Querem vir me visitar? 🙂

 Sâmela Silva, direto de Maputo, Moçambique.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Blog Pessoal | FacebookTwitter