Empregadas Domésticas: Um novo convívio que passei a ter em Moçambique.

Muitos amigos e curiosos quando souberam que eu estava vindo para a África, me perguntaram sobre a questão da pobreza. Se eu teria contato direto com isso e tal. Não poss0 dizer que tive contato com a miséria extrema, mas há uma pessoa que convive comigo que tem lutado pela vida e pela prosperidade da sua família a cada dia, Dona Tereza. Essa mulher de 49 anos, com ar sereno mas com marcas do cansaço e trabalho duro ao decorrer da vida, começou a trabalhar para o Zeca poucas semanas após ele chegar em Maputo. Já faz mais de 3 anos que um cuida do outro.

Quando cheguei fui alertada sobre váaaaaarias histórias, empregadas que roubavam dinheiro, comida e itens em geral, que não trabalhavam direito, que cheiravam mal, etc. Ouvi de tudo. E realmente, se a empregada é nova, é necessário mais cautela e alguns testes. Mas no meu caso, ela já estava há 2 anos e pouco e já tinha conquistado confiança. A minha expectativa em conhecer Dona Tereza era muita, já que Moisés se referia à ela “como a mãe africana” dele! Eu tinha que ser aprovada por mais uma sogra! 😛 Quando nos conhecemos vi que tudo daria certo, realmente ela é um amor. As inseguranças passaram e comecei a ensinar algumas coisinhas a mais. Acho que o que ela mais gosta, é quando eu a ensino a fazer um prato diferente ou mostro interesse em aprender com ela os pratos moçambicanos!

Nossa relação é bem estreita, sempre queremos saber como ela está e como estão todos da sua família. A maior lembrança que tenho nestes quase 10 meses, foi um momento de tristeza meu, onde foi nos braços dela que eu chorei, e o mais bonito é que ela não aguentou me ver chorar e começou a chorar junto. A situação ficou até engraçada, porque eu não queria vê-la chorar e eu é que tive que acalmá-la! Rs… No dia-a-dia a gente se ajustou bem, é claro que até hoje vira-e-mexe tenho que pedir algo, ensinar a mesma coisa mais de uma vez, mas nada que seja gritante, afinal não sou obcecada pela casa. Ela ser de confiança e carinhosa com minha família é o que mais conta. Acho que tratá-la com educação fez toda a diferença, ela respondeu de forma recíproca. Dona Tereza pra mim é o exemplo de que pode ser diferente. Limpinha e sempre arrumada (se não fosse, orientaríamos e ajudaríamos e ponto), chega no horário e não reclama de trabalho, administra a casa, cardápio, etc, come o que a gente come, sem diferença alguma. Se tem carne, é carne pra todo mundo, se tem ovo, é ovo pra todo mundo.

Diferente do Brasil, onde ter uma empregada é luxo, e no máximo eu tinha uma faxineira a cada 15 dias, em Moçambique é super normal ter empregados em casa. Acredito que a falta de emprego faz com que essa mão de obra se torne muito barata, e um dos serviços fixos e seguros é trabalhar em casas de família. O salário mínimo em Moçambique é… difícil de definir! Oficialmente, encontrei esta notícia que informa os salários aprovados para 2012, e nela são apresentados salários diferentes para cada setor. O que mais os empregados domésticos se encaixam é o “setor das atividades dos serviços não financeiros”, e o valor é de 3.510,00 MT. Vou tentar inserir, vocês leitores, um pouco mais no cenário: um salário mediano de 3.510,00 MT como apresentado no link acima, corresponde hoje a 125,00 USD, ou seja, cerca de R$ 232,00. Difícil nos imaginar vivendo só com isso por mês, não acham? Mas acreditem se quiser, muitos empregados nem isso ganham. E isso se encaixa a seguranças de estabelecimentos, guardas particulares, etc. Fico triste ao ver como patrões de nacionalidades diferentes, incluindo brasileiros, infelizmente tratam os funcionários quase como animais. Sim, isso acontece.

Acho que trabalhar em empresas grandes onde o elemento “pessoas” sempre foi uma das peças-chave para o sucesso, me fez entender que só valorizando e dando condições mínimas é que terei o retorno que espero. Levo esse aprendizado pra onde vou. Alguns me acham mole, mas situações como essa me lembram o quanto não somos nada e fazemos tão pouco e o quanto temos a péssima mania de esquecer que somos todos da mesma raça, a humana. É tão mais fácil esquecer, inferiorizar, explorar, etc… Qual o salário correto? Isso é uma pergunta que devemos responder individualmente analisando o próprio cenário. O que posso dizer, é que os valores que mais ouço são entre 3.000 MT e 5.000,00 MT. Em paralelo, há uma movimentação para padronizar o salário mínimo em relação ao custo de vida. Ano passado, sindicatos moçambicanos sugeriram um salário mínimo de 7.200,00 MT (cerca de 260,00 USD, na época) conforme esta matéria. Com estas informações, acho que vocês conseguirão definir melhor. 😉

Dona Tereza é extremamente especial para nós e nem quero imaginar a hora da despedida! Mas já pensando nisso, neste outro post, há 3 sugestões de como capacitar e auxiliar no processo de aprendizagem e crescimento profissional destas nossas companheiras de todos os dias!

Aproveitem este espaço pra expor situações e quem sabe ouvir sugestões de outros leitores!

Sâmela Silva, direto de Maputo, Moçambique.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | FacebookTwitter | Blog pessoal

Anúncios

9 responses to this post.

  1. Posted by Nat Fox on 10/02/2012 at 3:13 PM

    Que post livro, sam! baixou a Dimayam em vc?!?! hehehehe brincadeiras a parte… é por essas e outras formas de pensar, q nós sempre estivemos mto bem conectadas hehehehe
    Parabens pelas atitudes, o pensamento e principalmente por escrever este texto incentivando e orientando outros patrões a terem essa consciência de incentivar suas empregadas a terem alternativas de trabalho.

    Responder

    • Posted by Sâmela Silva on 10/02/2012 at 3:31 PM

      Kkkkkkk não queria deixar lacunas e me empolguei! 😛 Este assunto aqui é delicado, e essa foi a forma que encontrei para contar minha experiência e o q tenho aprendido com ela! 🙂

      Responder

  2. Posted by Andreia on 12/02/2012 at 8:24 PM

    Importante ressaltar que você teve muita sorte com a dona Teresa, pois na maioria dos casos não é este o perfil que encontramos. A realidade é bem os problemas citados acima. Eu, como diversos outros conhecidos, já tive várias empregadas e todas bem complicadas no quisito limpeza. Ainda que eu não seja também táo ligada em serviço de casa. Mas o que considerei sempre, foi o fator confiança para mantê-las comigo. E mesmo com muita paciência, tolerância e treinamento não é fácil encontrar uma dona Teresa.

    Responder

    • Posted by Sâmela Silva on 13/02/2012 at 2:59 PM

      Com certeza, Querida! Super apoio ficar esperta e fazer teste com profissionais novos em nossas casas, faria isso em qlqr lugar do mundo, afinal hoje em dia nunca se sabe….

      Responder

  3. Minha amiga, me atrevo a te chamar assim…os seus textos me emocionam muito, me fazem sorrir demais, me fazem refletir sobre a vida..e enfim me aproximam mais de Deus e do seu evangelho (humanitario)acredite (sou missionária, e sei do que estou falando) …pois você é super humana, e com sensibilidade para falar tudo que eu também gostaria de dizer, pois existem brasileiros que maltratam seus funcionários e pagam muito mal…mas ainda bem que existem pessoas como você que consegue humanizar e representar bem o lado bom dos brasucas…um grande beijo pra vc…Posso sugerir temas???hahahaha…mas só vale se você for comigo…disso não abro mão…kkkkkkkkk….faz um texto sobre os chapas…rs..rs..compras na calamidade e no chipamane..rs..rs.enfim tenho varias sugestões…rs..

    Responder

    • Posted by Sâmela Silva on 14/02/2012 at 7:12 AM

      🙂 Fique a vontade, já somos amigas virtuais e espero em breve estreitar esse relacionamento! Venha logo! 🙂 Obrigada pelas palavras, não faço nada além da minha obrigação mas realmente fico triste ao ver que pessoas esclarecidas as vezes perdem a noção por aqui. Claro que pode sugerir temas e já adorei estes! Tenho um post fresquinho sobre o transporte público aqui mas me faltam fotos q vou providenciar! Sobre o as compras eu to doidinha pra ir mas ainda não achei uma parceira! Acho q vou esperar vc chegar, to vendo q vou ter muitos posts pela frente! 🙂

      Responder

  4. Posted by Cecilia on 24/04/2012 at 10:59 AM

    Alo, esta a procura da empresa celeste e descobri este blog, gostei do que li, a maior parte dos estrangeiros que vem a Moçambique trata e fala muito mal dos empregados.Gostaria de saber mais sobre essa relaçao vossa, gostaria eu de formar melhor minha empregada domestica tanto em culinaria como em organização da casa. Dê me dicas.

    Ceci

    Responder

  5. […] no guarda-roupa, “vigiar” os pássaros que paravam na grade das janelas e morder as pernas de Dona Tereza, moçambicana fofa que trabalhava em casa e dava umas vassouradinhas pra Leona se mandar! […]

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: