Macau, um pedacinho de Portugal na China!

Quando soube que viria morar na China, pensei logo na oportunidade que teria de conhecer Macau. Tenho muita curiosidade por todos os lugares onde se fala português. Gosto de ouvir o idioma, perceber as diferenças e semelhanças, reparar no sotaque das pessoas e imaginar como seria viver ou apenas passar uma temporada nesses lugares.

Então, apenas três meses depois de desembarcar em Hong Kong organizei uma pequena viagem a Macau. A cidade está ali na esquina, é possível ir e voltar no mesmo dia, mas eu decidi ficar mais tempo para visitar a cidade com calma. Queria conhecer todos os cantinhos e  caminhar bastante… gosto de explorar um novo lugar fazendo passeios a pé, assim é muito mais fácil ser surpreendida por uma charmosa rua sem saída ou por uma casinha com uma beleza peculiar, às vezes esses pequenos detalhes fazem toda a diferença.

Já tinha lido um pouco sobre a cidade, sabia que a influência portuguesa era ainda muito presente na região, mas não esperava encontrar um Centro Histórico tão com a cara de Portugal. Os quatro séculos e meio de governo português (até 1999, quando a China recuperou o território) é visível na arquitetura: igrejas, edifícios municipais, ruas estreitas, lojas tradicionais e restaurantes portugueses. 

O lugar perfeito para começar qualquer passeio na cidade é o Largo do Senado, a maior praça de Macau, com calçadas feitas com mosaicos brancos e pretos que lembram o passado colonial português. É o coração da cidade e está completamente iluminado à noite. Nessa praça foram construídos os edíficios mais importantes, entre eles o Leal Senado, um edifício histórico considerado como o melhor exemplo de arquitetura portuguesa da região; alberga a Prefeitura e a Biblioteca do Senado. 

O centro de Macau tem a construção arquitetônica ocidental mais antiga de toda a China e foi declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 2005. 

Um pouco mais adiante encontramos as Ruínas de São Paulo – restos de uma igreja que foi construída por jesuítas no  século XVI. Dois incêndios destruíram a igreja assim como o colégio e a livraria que funcionavam ao lado, restando apenas a grandiosa fachada de granito e a escadaria monumental. É um dos pontos turísticos mais fotografados da cidade e é  considerado por muitos como o maior símbolo do Cristianismo na Ásia.

Ainda caminhando descobri um lugar interessantíssimo: a pitoresca Gruta de Camões. Esse lugar é uma homenagem ao poeta lusitano Luis de Camões, que por muitos anos viveu seu desterro em Macau. Dizem que nessa gruta ele teria escrito parte de sua obra-prima, Os Lusíadas. Também nesse local teria conhecido a nativa Dinamene, seu grande amor. No regresso para Portugal a nau em que viajava o casal naufragou, Camões salva a obra de sua vida, mas a bela Dinamene morre. A ela o poeta dedicou um dos seus mais belos sonetos: “Alma minha gentil, que te partiste…”  

O Templo de A-Ma é também outra construção interessante, é o templo mais antigo do território. Está dedicado à deusa A-Má, também conhecida como Tin Hau, deusa e padroeira dos navegantes e pescadores, é o símbolo máximo da cultura chinesa na cidade. 

Ruela Charmosa

Ruínas de São Paulo

Centro Histórico

O nome da região é derivado do nome da deusa A-Má. O lugar no início foi conhecido como A-Ma-Gao (Porto de A-Má), transformou-se depois em Amacao e finalmente em Macau. A cidade é famosa por seus restos arquitetônicos coloniais, mas não apenas por isso, também por ser o único lugar na China onde os jogos de azar foram completamente legalizados. Com apenas 29,7Km2 a região transformou-se em poucos anos em um enorme centro de jogos aberto 24 horas por dia. A apenas uma hora de ferry de Hong Kong, esta antiga colônia portuguesa, também conhecida como Las Vegas da Ásia, é um ponto de reunião para jogadores. A cidade já leva algum tempo investindo em jogos, mas agora é quando começa a apresentar altas expectativas de futuro, não só nas apostas mas também no entretenimento e lazer para o público em geral. O imenso complexo de cassinos e hotéis de luxo atrai cada vez mais um número maior de turistas, particularmente da China Continental. Macau está formada por uma península e duas pequenas ilhas: Taipa e Coloane. Taipa é uma área residencial, mas que também está virando um centro de jogos com cassinos e hotéis de luxo, como por exemplo, o Venetian Resort, um lugar perfeito para jogar e fazer compras. Trata-se de uma réplica de Veneza com canais artificiais, gôndolas e gondoleiros cantando óperas em italiano! Consegue imaginar isso na China? 🙂 O complexo possui 50.000m ².

The Venetian Resort

Coloane é uma ilha originalmente independente, mas hoje está unida artificialmente à ilha de Taipa. Trata-se de um vilarejo calmo com casas baixas e uma praça central estilo português com restaurantes e terraços ao ar livre. Em Coloane o antigo ainda sobrevive. É possível notar nitidamente o contraste entre as culturas ocidentais e orientais; é normal encontrar no meio de uma rua tipicamente portuguesa um belo templo budista.

Ao perceber a proximidade de Macau com Hong Kong fiquei muito contente! Achei que quando batesse uma saudade de falar meu idioma (dessas saudades infinitas que só quem vive em um país estrangeiro conhece) poderia tomar uma balsa e rapidinho estaria lá, tagarelando em língua materna. Coisa nenhuma! Em Macau quase ninguém fala português nas ruas… andei, olhei, perguntei e nada! Todas as placas, sinalizações de trânsito, informações de órgãos públicos estão escritas também no idioma de Camões, no entanto a única língua que ouvi pelas ruas foi o chinês. Fiquei um pouco decepcionada! O idioma está  desaparecendo e acho isso uma grande pena!

Claro que existem grupos específicos que ainda falam a língua, por exemplo: alguns funcionários em restaurantes portugueses e brasileiros que funcionam na cidade, funcionários do Consulado de Portugal e provavelmente outros grupos que não tive o privilégio de encontrar, mas que ainda pretendo descobrir onde se escondem. Há também uma Livraria Portuguesa muito linda, localizada no centro histórico. Acredito que ali seja um excelente ponto de encontro, pois a livraria além de oferecer uma grande variedade de livros em língua portuguesa, recebe  escritores que oferecem palestras e apresentam suas obras. É um lugar perfeito para quem sente a necessidade de ler algo em português de vez em quando. O espaço abriga também uma galeria de arte.

Além do chinês e português, o patuá (crioulo português) foi outro idioma também muito falado em Macau. Foi criado por volta do século XVI e hoje, infelizmente, está em via de extinção. Dizem que apenas uma minoria formada por macaenses idosos ainda fala a língua.

Escute um pouquinho do patuá:

A cidade oferece desde 1998 o Festival da Lusofonia, um evento que apresenta a gastronomia, músicas, danças, jogos e tradições dos países de língua portuguesa. Então, quem quiser falar portugês em Macau, tem que procurar os lugares com calma e ir na época certa. Em 2012 o Festival de Lusofonia acontecerá entre 19 e 21 de outubro.

Macau é também uma Região Administrativa Especial da República Popular da China – por um período transitório de 50 anos de duração até sua completa incorporação ao país. Isso significa uma administração diferente, por isso para viajar de Hong Kong a Macau é necessário passaporte. Para brasileiros não é exigido visto.

É uma cidade com uma grande diversidade cultural. Em Macau, o ocidental e o oriental, o moderno e o tradicional, convivem em perfeita harmonia, e esse ambiente é  uma experiência única na China!

Quer conhecer uma cidade diferente na China? Venha conhecer Macau! É também uma excelente oportunidade para tentar a sorte nos inúmeros cassinos!

Daisy Schäfer, direto de Hong Kong, China.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Facebook

Anúncios

4 responses to this post.

  1. Posted by Sâmela Silva on 05/03/2012 at 6:28 AM

    Olha, Macau me surpreendeu! Além de querer ver este lindo contraste entre o velho e o novo, fiquei empolgadíssima ao saber sobre a Veneza articifial! Deve ser o máximo! 🙂 Mas o que eu mais gostei mesmo foi do vídeo sobre o Patuá! Achei maravilhosa e divertidíssima a mistura! Mas por um lado acho até razoável, eles querem resgatar a própria língua, afinal o português é de Portugal, não representa a cultura deles. Mas super entendi a questão de matar as saudades do Brasil! 🙂

    Responder

    • Sâmela, eu também achei o Patuá uma mistura graciosa, pena que a língua está desaparecendo mesmo.
      A Veneza artificial está sempre lotada de gente fazendo compras, fotografando, jogando no enorme cassino. O legal é que mesmo com chuva é possível passear sem problemas, já que fica dentro do próprio hotel.
      Foi muito bom conhecer a cidade, já tenho planos pra ir lá de novo.
      E como eu sempre digo, qdo puder venha conhecer!
      Bjo;)

      Responder

  2. Posted by Nat Fox on 08/03/2012 at 6:43 PM

    Que ignorancia a minha, nunca nem imaginei que prox a HK exisita um lugar colonizado pelos portugueses kkkkkk vivendo e aprendendo….

    Responder

  3. Pois é, Nat, é justamente a influência dessa colonização portuguesa ainda muito presente que faz com que Macau seja um destino tão especial na China.
    Bjo

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s