Ricardo Darín

Ricardo Darín é sinônimo de cinema argentino.

Assim como o Chico Buarque é unanimidade entre as mulheres brasileiras, na Argentina também existe um galã de olhos claros que arranca suspiros de quase toda a mulherada. Só que neste caso, ao invés de cantar a alma feminina como só o Chico sabe fazer, o ator Ricardo Darín representa em seus filmes o homem   sensível, atormentado, forte pero sin perder la ternura jamás.

Ricardo Darín nasceu em Buenos Aires no dia 16 de janeiro de 1957. Filho de atores, estreou no teatro aos 10 anos de idade. Trabalhou muitos anos na TV argentina fazendo novelas, na maioria das vezes em papéis de galã, e também em programas de humor. A partir dos anos 90 dedicou-se a uma carreira no cinema extremamente bem-sucedida e premiada, participando em praticamente todos os filmes argentinos importantes das últimas décadas.

Embora seja um ator de cine estabelecido, nunca deixou de fazer teatro, o que é uma excelente oportunidade de vê-lo em carne e osso de vez em quando (sua última peça foi em 2010). E para que ninguém duvide de seu talento, também trabalha atrás das câmaras como roteirista e diretor. Totalmente multi-facético!

Com vocês uma seleção dos melhores filmes de Ricardo Darín:

Nove Rainhas (Nueve Reinas – Fabián Bielinsky – 2000 ): O filme conta a história de dois picaretas que armam um golpe a um milionário espanhol, em um submundo de Buenos Aires onde ninguém pode confiar em ninguém,  com muitas doses de humor e suspense e muitas reviravoltas até o final.

Sucesso de público e de crítica, Darín passou a ser considerado como um “ator sério” pelos argentinos a partir deste filme.

O filho da noiva (El hijo de la novia – Juan Jose Campanella – 2001): Darín interpreta um homem em crise da meia-idade, estressado, atolado em seu trabalho e sem dedicar muito tempo aos seus pais idosos, à sua namorada ou  mesmo ao seu filho. Após sofrer um ataque cardíaco, ele começa a repensar o modo que leva a vida.

Esta comédia dramática consagrou Darín como super-estrela do cinema internacional e foi indicada ao Oscar de melhor fime estrangeiro de 2002. Uma pena que não ganhou.

Kamchatka (Kamchatka – Marcelo Piñeyro – 2002): A ditadura militar de 1976, tema sempre presente no cinema argentino, é vista pelos olhos de um menino que conta suas lembranças dessa época na qual sua família é obrigada a viver  escondendo-se para não ser presa.

Um dos filmes mais sensíveis de Darín, onde se utiliza a cultura e a estética pop dos anos 70 para falar de uma tragédia nacional.

O segredo dos seus olhos (El secreto de sus ojos – Juan Jose Campanella – 2010)Um filme policial onde Darín faz o papel de um funcionário dos Tribunais portenhos que quando se aposenta resolve escrever um livro sobre o caso mais marcante de sua carreira: o estupro e assassinato de uma jovem dona-de-casa em 1974, um crime que não pôde ser solucionado. Com muitas idas e vindas narrativas entre passado e presente, o personagem tenta encerrar este caso e também outros aspectos de sua vida, como a paixão platônica que sente por sua chefe.

Mais uma colaboração entre Darín e o diretor Campanella (já tinham feito O filho da noiva, O mesmo amor, a mesma chuva e Luna de Avellaneda juntos), este foi o filme argentino de maior arrecadação e o mais visto no país nos últimos 35 anos. Também rendeu o segundo Oscar de melhor filme estrangeiro para a Argentina (O primeiro foi A história oficial, de 1986).

Abutres (Carancho – Pablo Trapero – 2010): No filme mais perturbador de sua carreira, Darín interpreta um advogado que recorre os hospitais de Buenos Aires após acidentes de trânsito, em busca de clientes para a agência em que trabalha, especializada em fraudar as seguradoras. Durante suas idas e vindas aos setores de emergência, se apaixona por uma médica  plantonista, o que o fará pensar em desistir do trabalho sujo.

Com cenas e diálogos fortes, o suspense vai crescendo até o final, que deixa os espectadores com a sensação de um verdadeiro soco no estômago.

Um conto chinês (Un cuento chino – Sebastián Borenzstein – 2011)No papel de um veterano da Guerra das Malvinas, Darín tenta ajudar a um chinês que não fala uma palavra em espanhol e que está perdido em Buenos Aires em busca de um tio, causando uma reviravolta em sua antes metódica rotina.

O filme mostra dois estranhos tentando conviver  com suas diferenças culturais e como se constrói uma amizade entre eles. Tudo isso causado por um evento (que foi baseado em fatos reais) um tanto quanto surreal: a queda de uma vaca do céu, na China!

Em uma semana onde só se respira cinema em Buenos Aires por causa do BAFICI, apresento a vocês o maior ator do cinema argentino. Já viram algum filme do Ricardo Darín? Qual é o melhor deles? Contem pra gente!

Fernanda Galli, direto de Buenos Aires, Argentina.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Twitter | Facebook

Anúncios

7 responses to this post.

  1. Eu gosto muito dele, não o acho excessivamente bonito, mas é super sedutor e atua hiper bem…
    A primeira vez que o vi foi em “O segredo dos seus olhos”, logo depois vi “Abutres” e “Um conto chinês”.
    Realmente, o cinema argentino arrasa!!
    Bjo 😉

    Responder

    • Ele é mais charmoso que bonito, mas é um atorazo! Adoro. Já vai estrear em breve um filme que ele faz o papel de um padre, do mesmo diretor de Abutres.
      O cinema argentino é excelente mesmo, e muito valorizado no Brasil. Ainda vou fazer um curso de cinema por aqui, é meu sonho.
      Beijocas para vc 😀

      Responder

  2. Que legal, Fernanda! Eu não o conhecia, já vou procurar uns filminhos com certeza! 😉

    Responder

    • Ai, ele é o máximo! Comece com o Segredo de seus olhos, é um dos meus favoritos. O povo elogiou muito o Conto chinês, eu não terminei de assistir ainda. Depois o 9 rainhas, é o grande clássico.
      E aí se gostar dele, vai buscando todos os outros, ele tem vários que nao apareceram no post (por questão de espaço :D)
      Beijão!!

      Responder

  3. Posted by Andreia on 01/05/2012 at 8:19 PM

    Ele é um charme. E adorei o Segredo dos Seus Olhos e o Conto Chinês. Vale a pena.

    Responder

    • É verdade! O próximo filme dele se chama Elefante Branco e ele fará o papel de um padre. Deve estrear em breve, e também estará no festival de Cannes. Esse rapaz é muito chique, tudo de bom! Obrigada pelo comentário! Beijos.

      Responder

  4. Reblogged this on Quinta Dimensãoe comentado:

    Post publicado originalmente no blog que participo: A grama da vizinha – Brasileiras e seus quintais mundo afora. Visitem o blog para mais assuntos interessantes!

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: