Curiosidades de Buenos Aires

Sabe aquela coisa de Todo dia ela faz tudo sempre igual, me sacode às seis horas da manhã (grande Chico, te amo!)? Pois é, vivemos em tanta correria que muitas vezes nos colocamos em piloto automático e nem reparamos no mundo ao nosso redor (eu, pelo menos, sou assim, hehe).

Mas de vez em quando a gente desperta para o mundo, e nessas horas a cidade aproveita para deslizar algum segredinho dela, para fazer a gente ficar com cara de boba o dia inteiro, sorrindo feito criança e pensando: puxa vida, só agora que me dei conta disso!

Essa pequena divagação foi só porque eu quero apresentar para vocês alguns desses segredinhos que minha Reina del Plata foi me mostrando nesses últimos tempos. Com vocês, algumas curiosidades de Buenos Aires:

Obelisco

O Obelisco é o maior ícone de Buenos Aires e é conhecido no mundo inteiro como o cartão postal da Argentina. Foi inaugurado no dia 23 de maio de 1936, e em 1938 quase foi demolido pelo Conselho Deliberante da Cidade (28 votos a favor e somente 3 contra a demolição – só foi salvo porque o governo nacional vetou a decisão). Naquela época, dez entre dez portenhos achavam o Obelisco a coisa mais horrorosa do mundo! 😀

O endereço formal do Obelisco é Avenida Corrientes 1066

Com 67,50 metros de altura, o Obelisco é oco por dentro, e no seu interior existe uma escada de ferro presa na parede com 206 degraus usada para limpeza, conservação e manutenção. O Obelisco não é aberto à visitação pública, o que é uma pena, pois tem uma visão privilegiada da cidade e do Rio da Prata (difícil seria subir esta escadinha estreita e escura para chegar lá em cima, hehe)

Cada um dos seus lados simboliza diferentes coisas:

1- Fundação da cidade de Buenos Aires em 1536;

2- Refundação de Buenos Aires em 1580;

3- Criação da Capital Federal em 1880;

4- 1º içamento da bandeira argentina na Igreja de San Nicolás (que foi demolida para dar lugar ao Obelisco).

O metrô de Buenos Aires

Em 1913 foi inaugurada a linha A do metrô de Buenos Aires (o Subte, como é chamado aqui), o primeiro da América do Sul. O recorrido ia da Plaza de Mayo até a Plaza Miserere, no bairro de Once.

Os trens de madeira que foram usados desde a época da inauguração ainda podem ser encontrados em funcionamento na linha A, que atualmente vai da Plaza de Mayo até a estação Carabobo. Lamentavelmente estão sendo substituídos por trens (um pouco mais) modernos e desaparecerão em breve (é compreensível, já que eles têm quase 100 anos e estão muito defasados, mas eu acho um charme! ;)).

Trem de madeira do século passado que ainda é utilizado na linha A do metrô.


Tesouro arqueológico

Barco espanhol do século XVIII

Puerto Madero é o bairro mais novo de Buenos Aires e tem uma das maiores taxas de prédios em construção na capital. Em 2008, durante a escavação de um poço em uma das milhares de obras que existem por lá, os operários encontraram peças metálicas e pedaços de madeira. Desconfiados, entraram em contato com a Comissão para a Preservação do Patrimônio Histórico Cultural (CPPHC) da cidade, que mandou para lá uma equipe de arqueólogos.

O resultado foi a descoberta do esqueleto de um barco espanhol do século XVIII, que havia encalhado no lugar. Além do casco do barco, foram resgatados vários objetos como vasilhas de cerâmica, cordas, pedaços de couro e quatro canhões intactos, entre outros (não, não encontraram nenhum pote com moedas de ouro ;)).

Foi um dos maiores achados arqueológicos da cidade, em uma área que é rica em vestígios fósseis de animais e restos humanos. Essa descoberta foi possível graças ao trabalho do programa Historia bajo las baldosas (História debaixo dos ladrilhos), da CPPHC. Depois de ficar em exposição para o público durante alguns meses, o barco foi removido e transferido para o bairro da Boca, onde voltou a ser enterrado para sua total preservação.

Chapeuzinho Vermelho

Monumento à Chapeuzinho Vermelho

Na Plaza Sicilia, dentro do Parque 3 de Febrero (também conhecido como Bosques de Palermo), está localizado o Monumento à Chapeuzinho Vermelho (Caperucita Roja, em castelhano). É uma das poucas cidades no mundo que homenageiam este personagem infantil (há outro monumento famoso também em Barcelona).

O Lobo Mau!

O governo da cidade encomendou a estátua de mármore (de autoria do escultor francês Jean Carlus), que foi talhada em Buenos Aires em 1937. Chapeuzinho é retratada como uma menina de cabelos cacheados que leva uma cestinha de doces e flores nas mãos. Escondido, o Lobo Mau a espia.

Em 2010 a estátua desapareceu do seu pedestal e surgiram vários rumores de que tinha sido roubada. No entanto, o mistério foi esclarecido em pouco tempo. Ela tinha sido retirada para ser restaurada, e depois de três meses e meio de trabalhos, foi devolvida a seu lugar nos bosques.

Além do monumento, também existe uma rua que se chama Caperucita. Trata-se de uma ruazinha curta (um pasaje, como se diz por aqui), no bairro de Parque Chacabuco.

Que ternura!

Muitas curiosidades estão escondidas nos lugares onde menos esperamos. Vocês conhecem alguma história curiosa do lugar onde moram? Compartilhem com a gente! E aproveitem para conferir outras atrações de Buenos Aires neste post aqui!

Fernanda Galli, direto de Buenos Aires, Argentina.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Twitter | Facebook

Anúncios

5 responses to this post.

  1. É verdade isso, Fe. Nossos olhos se acostumam com a paisagem e deixamos passar vários detalhes bacanas. Ah… eu não sabia sobre este trem de madeira! 😦 Acho q até eu voltar aí eles já devem ter sido substituídos! Essa estátua da Chapeuzinho Vermelho me lembrou a estátua da Rufina Cambaceres no Cemitério da Recoleta, qdo lançar + um post de curiosidades podia citar a história dela pq fiquei super curiosa da vez q fui aí! Bjo e boas descobertas por aí!

    Responder

    • Esse trem ainda anda, mas logo vai desaparecer. Os usuários reclamam bastante dele, mas os trens que estão colocando no lugar tb são bastante ultrapassados, kkkk.
      Vou anotar a dica, sempre tem um monte de curiosidades para mostrar, nem tive espaço para colocar algo sobre a Casa Rosada, assim que loguinho eu escrevo a segunda parte!
      Beijocas!!! 😉

      Responder

  2. Eu andei uma única vez no trem de madeira, é uma graça mas faz um barulho meio estranho…rsrsrs
    Fer, seus posts me deixam morrendo de saudade!
    Bjos 😉

    Responder

    • Barulhento e com cheiro de queimado, jajajaja. É uma aventura andar nessa linha A. Eu tb uso pouco, a linha que uso pra quase tudo é a B.
      Vem pra cá de novo!!! Eu sempre penso se um dia ter que ir embora de Buenos Aires, afff ia morrer de saudade.
      Beijocassss 😉

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: