Archive for the ‘Informações úteis’ Category

Um presente em 2013: a gatinha Leona voltou de Moçambique!

Para quem não acompanhou minha saga, fui morar em Maputo (Moçambique) em Abril de 2011 e claro que eu não podia deixar minha gatinha de estimação aqui em São Paulo. Resultado, Leona foi comigo.

Quando voltei para o Brasil, em Junho de 2012, não tive condições de trazê-la de imediato. Após me instalar e contar com alguns amigos anjinhos que auxiliaram no retorno, a bichana desembarcou em Guarulhos no dia 16 de Julho deste ano! \o/

Se você deseja viajar com animais minha dica é: faça tudo com antecedência e tenha muita paciência. Os órgãos governamentais e as companhias aéreas são extremamente lentos, caros e burocráticos. Ah,  se informe sobre o passaporte de animais, pode auxiliar no processo!

Passaporte para cães e gatos

Passaporte para cães e gatos

Como na ida já tínhamos entendido boa parte do fluxo e da documentação necessária, a volta foi mais tranquila.

Tivemos que conseguir os atestados de saúde e autorizações de Moçambique e África do Sul, comprar a passagem aérea, e com as cópias em mãos pude espera-la no aeroporto. O custo foi muito parecido com o da ida, o azar foi que este ano o dólar foi às alturas e isso refletiu no preço da passagem. Ficou mais caro ainda! (clique para ter mais detalhes)

Mas como se trata de Sâmela Silva… Aí vai a parte novelística:

Leona chegou em São Paulo as 23h do dia 16/07 (terça) mas os órgãos que autorizam a entrada de animais no país só funcionam em horário comercial. Logo, só pude dar entrada na papelada no dia seguinte as 08h00.

Fui toda feliz e aflita busca-la, afinal a bichinha já estava cerca de 9h esperando no aeroporto. (fora as 12h horas de voo, mais as horas de espera nos demais aeroportos, etc, enfim, uma judiação) Mas, como tudo que depende de processos arcaicos e gente com má vontade, foi pior do que eu pensava. Depois de um vai e volta de papelada, paga isso, paga aquilo, fui encaminhada para o setor da Polícia Federal que cismou que eu estava importando a Leona. Sim, meus amigos. Como se não houvesse quase gatos no Brasil, o funcionário da Polícia Federal teve a cara-de-pau de dizer que eu poderia muito bem estar trazendo um gato moçambicano com as mesmas características que constavam no RGA da gata que eu dizia ser minha. (RGA: Registro Geral Animal, é o RG dos animais que a Prefeitura de São Paulo me forneceu quando a castrei)

Foi de surtar!!!!

Se eu não comprovasse que Leona era brasileira e meu animal de estimação, teria que pagar cerca de R$ 800,00 de imposto, dinheiro que eu não tinha. O que eles queriam era a comparação do nº do microchip, dado que não constava no RGA porque na época que o fiz ela ainda não havia sido microchipada. Tive que pedir auxílio à South African Airlines, companhia aérea que fez todos os nossos trajetos. Eles me auxiliaram a resgatar os documentos de quando a levei para Moçambique e neles constava a numeração do microchip. Era quase meio-dia, 13 horas depois que ela havia desembarcado, quando consegui comprovar que Leona era minha mesmo.

A má vontade dos funcionários foi enorme, acho que ninguém parou pra pensar no estresse e saúde física do animal.

Por sorte, Leona aguentou muito bem! 🙂

Nosso encontro foi muito emocionante, pelo menos pra mim! Rsrsrs… Ela estava bem cansada e arisca, mas ao ver uma caixa de areia, água e comida ficou felizona! Heheheh Sou grata a todos que cuidaram dela na minha ausência e a todos que de alguma forma me auxiliaram a trazê-la!!!

A gente se amando no Brasil de novo! :) (tapete by @camisaflorida)

A gente se amando no Brasil de novo! 🙂 (tapete by @camisaflorida)

Ter um animal de estimação é uma grande responsabilidade. Então pense bastante antes de embarcar nessa! Abandonar está fora de cogitação e é preciso estar preparado para as mudanças que a vida pode trazer!

Passar por toda essa experiência com a Le só nos uniu ainda mais! Tô bem feliz com o retorno da gata “africana” e não podia fechar o ano sem contar isso a vocês!!! 😉 Olha ela já sensualizando no Brasil!!

Este slideshow necessita de JavaScript.

 Sâmela Silva, direto de São Paulo, Brasil, mas cheia de saudade das aventuras em Maputo, Moçambique.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Blog Pessoal | Projeto Marula BrasilFacebookTwitter

Tango Festival e Mundial de Baile 2013

Festival e Mundial de Tango 2013

Festival e Mundial de Tango 2013

O Festival e Mundial de Tango de 2013 começa amanhã, dia 14, e vai até o dia 27 de agosto. Como todos os anos, esse é a grande festa para os amantes do tango do mundo todo: em 2012, o Festival convocou um público de 500.000 pessoas. Eu já tenho meus sapatos de tango preparadinhos pra não perder nada, como sempre!

Este ano serão mais de 2000 artistas que se apresentarão entre concertos, espetáculos de dança, a competição de tango, aulas, milongas, encontros e festas, todas estas atividades com entrada grátis.

Apresento pra vocês um resumo do que vai rolar no festival este ano, a programação completa pode ser consultada na página de festivais de Buenos Aires.

Festa de abertura

Este ano será no Centro de Exposiciones e vai ter como atração principal o Sexteto Mayor, que comemora 40 anos de atividade e contará com convidados especiais: a cantora Adriana Varela e o cantor Raul Lavié, que são referentes do tango e os bailarinos Gloria e Eduardo, entre outros.

Produções especiais

Todos os anos o festival dedica uma seção central à realização de projetos especiais e encontros inéditos. Este ano os destaques são a homenagem ao grande compositor Aníbal Troilo e o Laboratório Experimental Tanguero, na Usina del Arte, que cruzará o tango com experimentações em linguagem audiovisual e novas tecnologias aplicadas ao som.

Bandoneon, a alma do tango

Bandoneon, a alma do tango

Especial Fueye

O bandoneón é o símbolo do tango, e neste ano o instrumento musical será protagonista no festival através de concertos de solistas  virtuosos de diferentes lugares e gerações. Os destaques são os espetáculos Bandonéon Ecléctico, do músico argentino Victor Hugo Villena, radicado na França; Fueyes del litoral, que mistura o tango com o chamamé, que é um ritmo tradicional das províncias de Missiones e Corrientes; e Mike Augustsson, um bandoneonista sueco que toca pela primeira vez na Argentina.

Nuevos repertorios

Como sempre, o festival abre espaço para a produção dos compositores contemporâneos, que continuam dando vitalidade ao gênero e que fazem com que o tango continue expandindo suas fronteiras entre as novas gerações.

En continuado

Concertos íntimos com formato pequeno na sala de música de câmara da Usina del Arte. Destacam-se a Ronda de cantores, com vozes de diferentes estilos e gerações, e Los dorados veinte (parte II), com músicos de menos de 25 anos.

Orquestra de tango sub 25

Orquestra de tango sub 25

Los acústicos de la Usina

Em uma das melhores salas de música de Buenos Aires, concertos de grandes figuras do tango como Leopoldo Federico, Rodolfo Mederos e a Orquesta de Tango de la Ciudad de Buenos Aires.

Espetáculos de Dança

Os espetáculos do tango dança estão entre as atrações que mais atraem o público, e buscam recuperar a essência do salão de milonga, recorrendo diferentes estilos e linguagens. Este ano se apresentam três referentes de gerações diferentes: o bailarino Pablo Verón se apresenta pela primeira vez no festival; Miguel Angel Zotto, bailarino veterano que será homenageado no Luna Park; e Juan Carlos Copes, um dos nomes mais conhecidos da dança argentina, que apresentará La pesada del tango.

Fiestas y Milongas

As pistas se enchem de milongueiros de todas as idades para bailar nas sedes centrais do festival. Tem pra todos os gostos: tradicionais, com orquestas ao vivo, milongas eletrônicas com DJs e VJs e experimentais.

Aulas de dança

Aula de Tango

Aula de Tango

Outra atividade que costuma convocar muita gente é a parte das aulas de tango, que contam com profissionais reconhecidos tanto do estilo de pista como do tango de palcos. Aulas de técnica e estilo, de principiantes a avançados, tem pra todo mundo. Um destaque é a conferência bailada Mitos e verdades do baile de tango, da bailarina Laura Falcoff, que é sem dúvida a atração número 1 na minha lista de atrações, não perco por nada!

Mundial de Baile

Finalistas tango escenario 2012

Finalistas tango escenario 2012

Sem dúvida é o ponto alto do festival!! Durante todo o ano os casais de bailarinos do mundo todo competem em seus países para poder participar das rodadas classificatórias do Mundial de baile, que acontecem no Centro de Exposições, nas categorias Tango de Pista (tango de salão) e Tango Escenario (tango de palco).

Este ano a inscrição para participar do campeonato bateu um recorde, foram no total 556 casais de 37 países diferentes. Os classificados se encontrarão nas finais de cada categoria que acontecem nos dias 26 e 27 de agosto no Luna Park.

Os bailarinos serão avaliados por um júri profissional e o casal vencedor de cada categoria ganha um prêmio de 40.000 pesos e duas passagens para Paris por cortesia da Air France, entre outros prêmios. É tão emocionante que parece a Copa do Mundo!

Informações práticas

Todas as atividades são grátis. As atividades abertas da Usina del Arte, do Centro de Exposições e do Anfiteatro do Parque Centenario terão ingresso por ordem de chegada até esgotar a capacidade de cada lugar.

Para todas as outras atividades é necessário retirar as entradas previamente. As entradas das finais do mundial no Luna Park serão distribuídas no dia 19 de agosto às 11 horas na bilheteria do Centro de Exposições, até esgotar a capacidade de 10 mil entradas (aviso – tem que chegar muuuuuito cedo e esperar horas na fila, boa sorte!).

Sedes

Centro de Exposições: Avenida Figueroa Alcorta, esquina com Avenida Pueyrredón, em Palermo.

Usina del Arte: Rua Agustín Caffarena 1, esquina com Avenida Pedro de Mendoza, na Boca.

Anfiteatro do Parque Centenario: Avenida Angel Gallardo, esquina Rua Leopoldo Marechal, em Almagro (acesso por metrô da linha B, estação Angel Gallardo)

CCC Teatro 25 de Mayo: Avenida Triunvirato 4444, na Villa Urquiza (acesso por metrô da linha B, estação Echeverria ou Juan Manuel de Rosas)

Luna Park: Avenida Corrientes esquina rua Bouchard (acesso por metrô da linha B, estação Leandro N Além).

Telefone para informações: 0800-333-7848, de segunda a sexta de 10 a 20 horas.

Tango no pé

Tango no pé

Fernanda Galli, direto de Buenos Aires, Argentina.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Twitter | Facebook

A árdua tarefa de contratar uma empregada

Depois de bastante tempo afastada do bloguinho, volto com uma novidade: finalmente consegui contratar uma empregada doméstica eficiente.

Posso dizer que deu trabalho encontrar uma pessoa que me agradasse e, trabalho maior ainda, colocá-la no meu ritmo.

Empregadas em Hong Kong

No início eu não queria uma empregada fixa, achei que por morar em um apartamento pequeno conseguiria me virar sozinha – que bastava pegar uma faxineira duas vezes por semana que todos os meus problemas estariam solucionados. Só que as coisas não saíram como eu esperava e no final das contas precisei mesmo contratar uma.

O que mais dificultou a minha escolha foi achar que jamais me adaptaria a alguém com costumes tão diferentes dos meus; eu tinha medo de ficar insatisfeita e ter que trocar de funcionária várias vezes. Então, pra evitar esse tipo de problema, decidi arregaçar as mangas e pegar no pesado, ou seja, ensinar TUDO, principalmente preparar comida que não fosse asiática, porque comer comida chinesa todo santo dia estava fora de cogitação … rsrsrs. Eu acabei dando sorte, contratei uma senhorinha muito esforçada, e o “curso de afazeres domésticos” que fui obrigada a ministrar não foi em vão, pois ela aprendeu direitinho.

A maioria das empregadas domésticas vem das Filipinas, dizem que há aproximadamente 160,000 delas trabalhando em Hong Kong, mas há também mulheres da Indonésia, Tailândia e Srilanka. Muitas falam inglês, o que facilita bastante a nossa vida por aqui.

A minha idéia inicial de ter apenas uma  faxineira foi por água abaixo, porque descobri que é ilegal trabalhar como diarista em Hong Kong. Contratar por hora pode gerar um problemão, tanto para a

Empregada filipina protestando em HK

Empregada filipina protestando em HK

empregada (que pode ser deportada) quanto para o empregador. E eu, como morro de medo de ir parar no xilindró, desisti rapidinho dessa loucura, fiz todos os trâmites necessários e legalizei a minha. 😉

Elas não ganham muito, o salário mínimo é  3.900 doláres de Hong Kong, aproximadamente 1.050 reais, mas além do salário recebem também:

– Um seguro de saúde;

– Um quarto (caso não tenhamos espaço em casa, somos obrigados a      pagar um aluguel para que morem fora);

– Uma quantia extra para alimentação.

– Uma viagem  para seu país de origem a cada dois anos.

 

As empregadas trabalham de segunda a sábado, fazem todo o trabalho da casa: limpam, cozinham, lavam, passam, cuidam de crianças, vão ao mercado, passeiam cachorros, etc…

Muitas delas deixam marido, filhos no seu país de origem e ficam aqui trabalhando por anos para economizar e enviar dinheiro para manter a família; elas levam uma vida dura, realmente precisam lutar para conseguir seguir adiante. Há pouco tempo houve uma grande manifestação das empregadas domésticas – elas pediram melhores condições de trabalho e visto permanente em Hong Kong para aquelas que já vivem aqui há muitos anos.

O domingo é seu único dia de folga, nesse dia Hong Kong é invadida por milhares de domésticas, que se juntam em vários pontos da cidade pra conversar, jogar cartas e descansar… Elas passam o domingo inteiro fora de casa e só regressam  à noite.

Empregadas em seu dia de folga

Empregadas em seu dia de folga

A minha ajudante é filipina, já vai fazer seis meses que está comigo, passou o período de teste e foi aprovada. Tenho percebido que com boa vontade e paciência, de ambas as partes, as coisas têm dado certo. Espero que continuem assim e que eu não precise buscar outra durante todo o período que ficarei por aqui. 🙂

Daisy Schäfer, direto de Hong Kong, China.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Facebook

Porque a vida é feita de momentos: da Irlanda para a Espanha!

Um dia fui para aula de inglês e conheci duas pessoas incríveis, meu amigo Pablo (espanhol) e minha amiga Mariana (brasileira), e ambos moram na Espanha. Enquanto eles estavam em Dublin, fizemos algumas coisas juntos como ir a um típico Pub irlandês, visitamos outra cidade, enfim, foram bons momentos. Antes do Pablo voltar para Espanha ele  preparou um típico jantar espanhol, com isso a nossa amizade só estava começando, combinamos de nos encontrarmos na Espanha, eles não acreditaram que eu iria visitá-los. Finalmente viajei para capital espanhola – Madrid, fui muito bem recebida pela a Mari, foi surpreende, pois visitamos vários lugares em Madrid, como Museu do Prado, Museu Reina Sofia, Puerta del Sol, Gran Vía, Parque del Retiro, Plaza Mayor, Templo de Debod, Nuestra Señora de las Comunicaciones e outras coisas mais.

De vários lugares que estive em Madrid, o mais interessante pra mim foi ver pessoalmente as obras incríveis de Pablo Picasso e de Salvador Dalí no Museu Reina Sofia, pois eu estudei sobre esses grandes artistas na escola. Sempre admirei as obras de Salvador Dalí, já que gosto muito o movimento artítico Surrealismo e poder estar na frente das obras foi simplesmente incrível!

The Enigma of Hitler – Salvador Dalí 1939

The Enigma of Hitler – Salvador Dalí 1939

Viajamos para Alicante o sul do país, uma cidade com belíssimas praias, castelos, bons restaurante, enfim, uma cidade aconchegante. Fomos muito bem recebidas pelo nossos amigos Pablo e Jesús, vivemos momentos especiais que jamais me esquecerei, visitamos Castillo Villena, passeamos pelo centro da cidade, La explanada de Alicante, Playa de San Juan e uma pequena e charmosa cidade chamada Altea, uma antiga vila de pescadores. Um dos pontos famoso da cidade é “Casco Antiguo” com ruas estreitas, casinhas brancas, ótimos restaurantes e uma vista maravilhosa para o mar, já que a “Cidade Velha” fica no topo de uma colina.

Altea - Casco Antiguo

Altea – Casco Antiguo

Uma curiosidade interessante é que os espanhóis valorizam muito “La Siesta” que é o ato de descansar um pouco depois do almoço. Pode ser sentado no sofá de olhos fechados, pode ser ouvindo as notícias na TV ou simplesmente deitado na sala ou no quarto de janelas abertas. Por incrível que possa parecer, eles vão para casa, vestem seus pijamas, ligam o despertador e dormem por pelo menos uma hora e então retornam para suas atividades.

Viajar para a Espanha foi uma experiência fantástica, no pouco tempo que estive no país conheci um pouco da cultura, os costumes, os hábitos e a deliciosa gastronomia. Espero um dia poder voltar à Espanha para conhecer outras cidades.

La explanada de Alicante

La explanada de Alicante (Pablo, Mari, eu e Jesús)

Fique com Deus! Beijos! 🙂

Danielle Santos, direto de Dublin, Irlanda.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Facebook

Dia Nacional da China

“Mapa-bandeira” da China

Na última segunda-feira os chineses comemoraram seu dia nacional. A data foi marcada por grandes reuniões, discursos políticos e desfiles militares em várias partes do país. O dia 1 de outubro foi escolhido como aniversário da nação em 1949. Nesse dia, o povo chinês, sob a direção do Partido Comunista da China, anunciou a vitória na Guerra da Libertação.  Na cerimônia, o governo de Mao Tse Tung declarou solenemente a fundação da República Popular da China e levantou a primeira bandeira nacional do país.

Mao Tse Tung

Nos últimos anos o governo chinês aumentou o feriado do dia nacional para uma semana, a qual chamou de “Semana de Ouro.” Esse feriado é excelente para o mercado de turismo e, de acordo com o jornal South China Morning Post, a China fatura muitíssimo com a venda de entradas para as atrações turísticas durante esse período. A semana dourada começa no dia 1 de outubro e vai até o dia 7, dando aos chineses tempo suficiente para visitar familiares em diferentes partes da China. De fato, essa é uma época em que milhares de pessoas viajam pelo país, e não apenas os nativos, muitos turistas estrangeiros também se juntam aos viajantes e exploram a região.

Quanto ao festejo do dia nacional, cada cidade dá o seu melhor, Pequim, por exemplo, transforma-se no cenário de um dos maiores desfiles militares do país; pessoas chegam de todos os lados para presenciar tanto o desfile quanto a cerimônia da bandeira.

E Hong Kong, como toda cidade chinesa, não podia ficar de fora das celebrações; na segunda-feira bem cedinho houve a cerimônia da bandeira, ocorrida no Golden Bauhinia Square, em Wan Chai, com a presença de políticos e diplomatas. E, à noite, a comemoração ficou por conta dos fogos de artifício, lançados de barcos desde o Porto Victória.

O espetáculo, que durou aproximadamente 23 minutos, começou às 21 horas e encantou a chineses e estrangeiros. Mas, além das comemorações festivas, Hong Kong foi também palco de protestos: um grupo de manifestantes se reuniu em frente ao escritório chinês pedindo por um auto-governo.

Desfile militar em Pequim

Sair de casa durante esse feriado não é uma tarefa muito fácil, tanto restaurantes como trens e metrôs ficam lotadíssimos, sobretudo nas áreas onde é possível presenciar os fogos de artifício. É uma multidão de chineses e turistas jamais vista. Eu tentei ir à Avenida das Estrelas, em Kowloon, para assistir à queima de fogos e me assustei com a quantidade de pessoas que teve a mesma ideia. Havia filas quilométricas para tomar ônibus ou taxis, foi preciso abrir caminho à força… rsrs

Apesar de todo o esforço, tive que me contentar em assistir aos fogos meio de longe – por causa do tumulto foi impossível me aproximar do porto. Mas, mesmo com toda a correria, empurra-empurra e cotoveladas,  foi bom ver de perto como os chineses comemoram seu dia nacional.

Fogos de artifício em Hong Kong

Em 2012 eles comemoraram 63 anos da nação, e pelo que pude perceber, as celebrações são semelhantes às que fazemos no Brasil. Acredito que a diferença maior está mesmo no fato de o governo presentear o povo com sete dias de feriado e, claro, a quantidade exorbitante de pessoas que sai às ruas.

É sempre muito bom fazer parte de uma festa como essa – é interessante perceber as diferenças e semelhanças que há entre a comemoração chinesa e a brasileira. Presenciar algo assim é uma experiências gratificante… Vale muito a pena, muito mesmo! 🙂

Daisy Schäfer, direto de Hong Kong, China.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Facebook

Desafios e dicas da vida profissional de um estrangeiro em Moçambique

Faz 3 meses e 13 dias que voltei para o Brasil, mas como eu esperava, o bloguinho ainda rende frutos! 🙂 Até hoje recebo inúmeros pedidos de auxílio de pessoas que estão indo para Moçambique e que querem saber dicas, tirar dúvidas e na maioria das vezes, saber como era minha rotina lá. De mulheres que estão indo acompanhar seus maridos, então! De todos os questionamentos, os dois maiores temas são Safari, que já escrevi nestes 2 posts: Safari na África: você deveria fazer uma vez na vida!Camping no Kruger! Bom, bonito e barato!, e Vida Profissional, onde falo um bocado no meu outro blog, o Blog da Sâ, mas que não havia dedicado nenhum post aqui ainda, a não ser quando comentei sobre minha experiência como professora em uma Universidade moçambicana, mas foi algo mais light.

Então, vamos lá! Como vocês já sabem, lecionei por alguns meses num curso de Ciências da Comunicação, mas também trabalhei por 4 meses na parte administrativa de uma pequena agência de publicidade, e posso lhes dizer: a vida profissional é um dos maiores desafios em qualquer mudança, seja de município, estado ou país. Aliás, quando você muda de emprego na mesma cidade já é um desafio, novas rotinas, processos, costumes, chefes e por aí vai. Mas tenho que confessar que na mudança de país, o buraco parece ser mais embaixo.

Aí vai uma pequena lista de desafios que encontrei:

1) Cota de estrangeiros

Em Moçambique, até onde pude verificar, só é possível ter 10% das vagas dedicadas a estrangeiros. Como boa parte das empresas não são grandes, fica difícil contratar. Por exemplo, uma empresa de 10 funcionários, que já é grandinha, só pode ter 1 estrangeiro… já dá pra ver que cada vaga é bem disputada.

2) O ritmo de trabalho

Todo mundo que vai pra lá estranha. Ainda não posso dizer com certeza pois só morei em um país diferente do Brasil, mas brasileiro trabalha pra caramba! A gente já está acostumado com leis trabalhistas, carga extra de trabalho, prazos curtos, qualidade, vida acadêmica ativa, princípios de liderança e gestão de pessoas, etc. Isso faz da gente ótimos profissionais, sem exageros. Mas em Moçambique, senti na pele o quanto o momento histórico que eles ainda vivem, interfere no ritmo e qualidade dos serviços. Coisas básicas como atendimento ao cliente são grandes calcanhares de Áquiles. Tive a impressão de que eles ainda não tem aquele sentimento de que o cliente é quem paga o salário deles no final do mês. E para nós, que já temos esse princípio mais consolidado, fica difícil se adaptar. É como se voltássemos um pouco no tempo.

3) A língua

O Português falado em Moçambique é o de Portugal e temos que nos adaptar para tornar a comunicação, oral e escrita, mais fácil. Mas além disso, perdi muitas oportunidades por não ser fluente em Inglês, e em alguns momentos, em Francês também. São muitas multinacionais, são muitos estrangeiros vivendo ali, e fronteiras muito próximas com países de língua inglesa, aí já viu. E nesse quesito, dá uma invejinha boa dos moçambicanos! Eles parecem ter muito mais facilidade do que nós para aprender outro idioma e se quiser saber minha teoria sobre isso, clique aqui.

Diante deste cenário, tive minhas experiências profissionais mas não da forma consistente que eu precisava. Um lugar bacana, com registro, salário justo, etc, foi um sonho difícil de realizar em Moçambique.

É muito mais seguro ir com um emprego garantido mas não é fácil. Conheci inúmeras esposas, namoridas e afins que foram morar em Maputo para acompanhar seus cônjuges que receberam gordas e/ou interessantes propostas e foram expatriados. “Expatriado” é um termo que aprendi a usar lá, trata-se de funcionários que trabalham no Brasil mas são enviados para trabalhar em filiais ou projetos no exterior. Eles tem todo o suporte da empresa brasileira e, na maioria das vezes, bons benefícios que fazem a mudança valer a pena. Mas a esposa vai de “gaiata” na história e depende dela se adaptar ao cenário novo. Algumas grandes empresas até prometem auxiliar as esposas a se recolocarem no mercado, já que sabem que esposa descontente é sinônimo de marido com a cabeça quente no trabalho e isso pode significar uma passagem de volta do casal, o que é um prejuízo para a companhia. Mas em Moçambique, não vi isso ser tão eficaz.

O jeito é correr atrás! Dentre muitas coisas que podem ser feitas, uma das que considero mais importantes é obter a Equivalência do Diploma. Para você trabalhar em sua área ou continuar seus estudos, o Governo Moçambicano tem que emitir um documento que diga que sua graduação é reconhecida no país. Isso deve ser feito logo no início, pois este documento costuma demorar para ficar pronto, o meu saiu em 2 meses, mas já houve casos de mais de 7. Em Janeiro de 2012, o processo que fiz foi o seguinte:

  • Minha Certidão de Equivalência Acadêmica! É bonita, viu! Rs…

    1) Carta escrita a mão solicitando a equivalência (Modelo de Carta de Equivalência Escolar em Mocambique)

  • 2) DIRE (visto de residência permanente em Moçambique)  original + *Cópia autenticada (se ainda não tiver DIRE, o Passaporte + *Cópia autenticada resolvem)
  • 3) Histórico do Ensino Médio original + *Cópia autenticada
  • 4) Histórico da Faculdade + *Cópia autenticada
  • 5) Diploma original + *Cópia autenticada
  • 6) Ficha disponibilizada pelo setor de Equivalência da Universidade Pedagógica de Moçambique (você pode preencher na hora)

*cópias autenticadas em um cartório moçambicano

Reunindo todos estes documentos, é só ir até a Universidade Pedagógica que fica no final da Avenida do Trabalho em Maputo (clique aqui para ver o mapa), entregá-los, pegar o protocolo, cruzar os dedos e aguardar! 😉

Mas fugindo um pouco do lado desafiador e burocrático, conheci pessoas que foram sem emprego, ou com um emprego meia-boca e que conseguiram superar estas dificuldades. Uma boa opção é abrir a própria empresa, virar pessoa jurídica. Já que as empresas não podem contratar o estrangeiro, ele entra no quadro de funcionários de maneira camuflada como “prestador de serviços”, um emite nota pro outro e pronto. Além disso, como abrir empresa em Moçambique não é difícil, se aventurar no próprio negócio também pode ser um ótimo escape. E dependendo do negócio, nem é preciso abrir empresa mesmo, trabalhar de casa também é super válido!

Como exemplo, minhas amigas Lidi Mendes e Lívia Monteiro estão se jogando deliciosamente na carreira de doceiras! Em Moçambique não é comum achar docinhos tão gostosos quanto os nossos, várias vezes amigas moçambicanas me pediram para ensinar a fazer o bendito brigadeiro! Lá não costuma dar certo porque o leite condensado moçambicano tem uma textura muito diferente do nosso, logo, o segredo mesmo é correr atrás de uma lata de Leite Moça Nestlé! Rs… A Lidi se especializou em Cupcakes e abriu a Marula Cupcakes, já a Lívia, criou a Comadre Docinho e estão se dando super bem! 😀

Clique nos nomes e visite as páginas da “Marula Cupcakes” e “Comadre Docinho” no Facebook!

No final, o que conta mesmo é a vontade e a perseverança. Se você realmente quiser trabalhar em Moçambique, você consegue. Basta só não esmorecer ao encontrar as barreiras que citei acima e abusar de itens como paciência e criatividade. Ah, e deixar um pouco de lado a ambição de muito dinheiro a curto prazo! Isso só virá com o tempo e dedicação. Acho importante ressaltar também, que muitas das dificuldades que citei, acredito serem resquícios do pouco tempo de independência (desde 1975) e da colonização portuguesa que pra mim, foi uma das menos progressistas para os nativos. Muitas gerações vão ter que nascer e morrer, assim como aconteceu com o Brasil, para velhos costumes desaparecerem e oportunidades de aprendizado, especialização e crescimento, surgirem de forma abrangente, igualitária e consistente em Moçambique.

 Sâmela Silva, direto de São Paulo, Brasil, mas cheia de saudade de Maputo, Moçambique.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Blog Pessoal | FacebookTwitter

Festival e Mundial de Tango Buenos Aires 2012

Tango Buenos Aires

Festival e Mundial de Tango 2012

O calendário de eventos da cidade de Buenos Aires funciona há muitos anos como um reloginho. Em janeiro e fevereiro temos o festival de verão, em abril o Bafici (que eu amo!), em novembro o festival de Jazz e por aí vai. Isso é muito bom porque sempre tem atividade cultural rolando por aqui e é mais fácil se programar (inclusive para turistas) para não perder as atrações que a gente mais gosta.

Agosto é o mês mais tangueiro do ano. O Tango Buenos Aires Festival e Mundial é o maior encontro anual deste gênero tão portenho e a edição 2012 começou no dia 14 e vai até o dia 28, são 15 dias a puro tango e com todas as atividades gratuitas. O evento tem repercussão internacional e convoca público de todo mundo.

A abertura do festival este ano aconteceu na Usina del Arte, no bairro da Boca, uma sala de espetáculos que foi inaugurada alguns meses atrás (e que terá um post inteirinho dedicada a ela em breve). O evento era somente para convidados e alguns sortudos que ganharam entradas em um concurso do Facebook (eu ganhei!! :D) e a atração principal foi um recital da Orquesta Típica Sub 25 e a participação especial dos bailarinos Juan Carlos Copes e sua filha, Johana Copes, que são dois dos maiores nomes do baile de tango da Argentina.

Usina da Arte no bairro da Boca

Usina del Arte, no bairro da Boca

Além da Usina del Arte, as outras sedes do festival são o Centro de Exposiciones Recoleta, o Anfiteatro do Parque Centenario, os teatros Colón e Regio (bem pertinho da minha casa, maravilha!) e o estádio Luna Park, onde será o encerramento.

Principais atrações e atividades

mudial de tango buenos aires 2012

Eliminatórias Tango Escenario

A programação completa do festival pode ser acessada aqui. Como são centenas de atividades diferentes seria impossível falar de todas, então deixo a listinha com os destaques e os meus favoritos desta edição 😉

Mostra Permanente Piazzolla Íntimo e Universal: Este ano o Festival faz um tributo a Astor Piazzolla, aos vinte anos de sua morte. Além de vários recitais que fazem homenagem ao compositor e sua obra, também organizaram esta mostra permanente com manuscritos, desenhos e mais de 250 fotografias, muitas delas inéditas, que revelam aspectos tanto de sua vida íntima quanto de sua vida pública.

Concertos e recitais: foram agrupados em ciclos temáticos, abarcando todos os estilos e misturando desde as formas mais tradicionais do tango quanto a nova geração de tangueiros apelidados de Sub 25, artistas e compositores de vinte e poucos anos que fazem mais que reinterpretar os clássicos, estão produzindo música nova, garantindo assim a continuidade e a vigência do tango.

Novos nomes do tango

Orquesta Sub 25 – um gênero que se renova

Os shows mais interessantes ficam por conta do ciclo Piazzolla (para mim é o grande referente de todos os tempos); o tango eletrônico do Tanghetto, que comemorou dez anos de existência; a cantora Adriana Varela cantando os clássicos do tango e a Orquesta El Porvenir, que é formada por crianças de bairros carentes da cidade.

Além disso, as propostas que mais me chamaram atenção foram os recitais que misturam tango com jazz; uma apresentação da cantora Karina Beorlegui que faz uma ponte entre tangos e fados e a Orquesta Fleurs Noires, formada só por mulheres, algo que é muito raro em um ambiente que é predominantemente masculino como o tango (ahamm, seria muito indelicado dizer ‘ambiente predominantemente machista como o tango’? :D).

Teatro Colon Buenos Aires

Espetáculo Tangocontempo no Teatro Colon

Milongas, classes e práticas de tango: Além dos concertos e recitais, o festival também oferece muitas aulas práticas (desde o nível básico até o mais avançado) para que o público coloque a mão, ou melhor, o pé na massa. E também os espetáculos de baile, que fazem cair o queixo, além das milongas onde todos vão para dançar.

Tem um monte de atrações imperdíveis nesta categoria, com destaque para o espetáculo de dança Tango y fútbol, que une elementos da dança, do esporte e fragmentos do livro El fútbol a sol y sombra, do escritor uruguaio Eduardo Galeano.

Entre as milongas, se destacam as de tango eletrônico e a Milonga de encerramento. E entre as diversas aulas oferecidas pelos bailarinos e milongas mais famosos de Buenos Aires se destaca a aula de Johana Copes exclusiva para mulheres.

Festival de Tango Buenos Aires

Onde é o fim da fila?

Mundial de Baile: a Copa do Mundo dos bailarinos de tango é, sem dúvida, a atração de maior sucesso do Festival. Em vários lugares do mundo os casais participam de campeonatos e os vencedores vêm para Buenos Aires para competir entre si e com os donos da casa. As categorias são o tango escenario (o tango para os palcos, cheio de acrobacias e piruetas) e o tango salón (o baile apropriado para as pistas de dança). Os campeões são escolhidos por um júri especialista.

As entradas para as finais de cada categoria são distribuídas antecipadamente e são disputadas quase a tapa. Este ano fizeram a entrega na 2a-feira passada, que era feriado aqui e em três horas já estava tudo esgotado, dá uma olhadinha na fila que se formou, uma loucura 😀

Mundial de Tango Buenos Aires

Classificatórias do Mundial de Tango

*As fotos utilizadas foram retiradas da página oficial dos Festivais de Buenos Aires no Facebook.

Bueno, já deu pra ter uma noção de tudo o que esse festival movimenta. É mais ou menos similiar ao que acontece com o Carnaval brasileiro (em uma escala muito menor, obviamente), com vários meses de preparação antes da grande festa. Sorte nossa que como público, a única coisa que temos que fazer é participar e curtir! Deixo pra vocês esse vídeo com uma das melhores músicas de Piazzolla, Libertango. Que tal dar uma espiadinha?

 

Fernanda Galli, direto de Buenos Aires, Argentina.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Twitter | Facebook