Archive for the ‘Turismo’ Category

Um presente em 2013: a gatinha Leona voltou de Moçambique!

Para quem não acompanhou minha saga, fui morar em Maputo (Moçambique) em Abril de 2011 e claro que eu não podia deixar minha gatinha de estimação aqui em São Paulo. Resultado, Leona foi comigo.

Quando voltei para o Brasil, em Junho de 2012, não tive condições de trazê-la de imediato. Após me instalar e contar com alguns amigos anjinhos que auxiliaram no retorno, a bichana desembarcou em Guarulhos no dia 16 de Julho deste ano! \o/

Se você deseja viajar com animais minha dica é: faça tudo com antecedência e tenha muita paciência. Os órgãos governamentais e as companhias aéreas são extremamente lentos, caros e burocráticos. Ah,  se informe sobre o passaporte de animais, pode auxiliar no processo!

Passaporte para cães e gatos

Passaporte para cães e gatos

Como na ida já tínhamos entendido boa parte do fluxo e da documentação necessária, a volta foi mais tranquila.

Tivemos que conseguir os atestados de saúde e autorizações de Moçambique e África do Sul, comprar a passagem aérea, e com as cópias em mãos pude espera-la no aeroporto. O custo foi muito parecido com o da ida, o azar foi que este ano o dólar foi às alturas e isso refletiu no preço da passagem. Ficou mais caro ainda! (clique para ter mais detalhes)

Mas como se trata de Sâmela Silva… Aí vai a parte novelística:

Leona chegou em São Paulo as 23h do dia 16/07 (terça) mas os órgãos que autorizam a entrada de animais no país só funcionam em horário comercial. Logo, só pude dar entrada na papelada no dia seguinte as 08h00.

Fui toda feliz e aflita busca-la, afinal a bichinha já estava cerca de 9h esperando no aeroporto. (fora as 12h horas de voo, mais as horas de espera nos demais aeroportos, etc, enfim, uma judiação) Mas, como tudo que depende de processos arcaicos e gente com má vontade, foi pior do que eu pensava. Depois de um vai e volta de papelada, paga isso, paga aquilo, fui encaminhada para o setor da Polícia Federal que cismou que eu estava importando a Leona. Sim, meus amigos. Como se não houvesse quase gatos no Brasil, o funcionário da Polícia Federal teve a cara-de-pau de dizer que eu poderia muito bem estar trazendo um gato moçambicano com as mesmas características que constavam no RGA da gata que eu dizia ser minha. (RGA: Registro Geral Animal, é o RG dos animais que a Prefeitura de São Paulo me forneceu quando a castrei)

Foi de surtar!!!!

Se eu não comprovasse que Leona era brasileira e meu animal de estimação, teria que pagar cerca de R$ 800,00 de imposto, dinheiro que eu não tinha. O que eles queriam era a comparação do nº do microchip, dado que não constava no RGA porque na época que o fiz ela ainda não havia sido microchipada. Tive que pedir auxílio à South African Airlines, companhia aérea que fez todos os nossos trajetos. Eles me auxiliaram a resgatar os documentos de quando a levei para Moçambique e neles constava a numeração do microchip. Era quase meio-dia, 13 horas depois que ela havia desembarcado, quando consegui comprovar que Leona era minha mesmo.

A má vontade dos funcionários foi enorme, acho que ninguém parou pra pensar no estresse e saúde física do animal.

Por sorte, Leona aguentou muito bem! 🙂

Nosso encontro foi muito emocionante, pelo menos pra mim! Rsrsrs… Ela estava bem cansada e arisca, mas ao ver uma caixa de areia, água e comida ficou felizona! Heheheh Sou grata a todos que cuidaram dela na minha ausência e a todos que de alguma forma me auxiliaram a trazê-la!!!

A gente se amando no Brasil de novo! :) (tapete by @camisaflorida)

A gente se amando no Brasil de novo! 🙂 (tapete by @camisaflorida)

Ter um animal de estimação é uma grande responsabilidade. Então pense bastante antes de embarcar nessa! Abandonar está fora de cogitação e é preciso estar preparado para as mudanças que a vida pode trazer!

Passar por toda essa experiência com a Le só nos uniu ainda mais! Tô bem feliz com o retorno da gata “africana” e não podia fechar o ano sem contar isso a vocês!!! 😉 Olha ela já sensualizando no Brasil!!

Este slideshow necessita de JavaScript.

 Sâmela Silva, direto de São Paulo, Brasil, mas cheia de saudade das aventuras em Maputo, Moçambique.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Blog Pessoal | Projeto Marula BrasilFacebookTwitter

Tango Festival e Mundial de Baile 2013

Festival e Mundial de Tango 2013

Festival e Mundial de Tango 2013

O Festival e Mundial de Tango de 2013 começa amanhã, dia 14, e vai até o dia 27 de agosto. Como todos os anos, esse é a grande festa para os amantes do tango do mundo todo: em 2012, o Festival convocou um público de 500.000 pessoas. Eu já tenho meus sapatos de tango preparadinhos pra não perder nada, como sempre!

Este ano serão mais de 2000 artistas que se apresentarão entre concertos, espetáculos de dança, a competição de tango, aulas, milongas, encontros e festas, todas estas atividades com entrada grátis.

Apresento pra vocês um resumo do que vai rolar no festival este ano, a programação completa pode ser consultada na página de festivais de Buenos Aires.

Festa de abertura

Este ano será no Centro de Exposiciones e vai ter como atração principal o Sexteto Mayor, que comemora 40 anos de atividade e contará com convidados especiais: a cantora Adriana Varela e o cantor Raul Lavié, que são referentes do tango e os bailarinos Gloria e Eduardo, entre outros.

Produções especiais

Todos os anos o festival dedica uma seção central à realização de projetos especiais e encontros inéditos. Este ano os destaques são a homenagem ao grande compositor Aníbal Troilo e o Laboratório Experimental Tanguero, na Usina del Arte, que cruzará o tango com experimentações em linguagem audiovisual e novas tecnologias aplicadas ao som.

Bandoneon, a alma do tango

Bandoneon, a alma do tango

Especial Fueye

O bandoneón é o símbolo do tango, e neste ano o instrumento musical será protagonista no festival através de concertos de solistas  virtuosos de diferentes lugares e gerações. Os destaques são os espetáculos Bandonéon Ecléctico, do músico argentino Victor Hugo Villena, radicado na França; Fueyes del litoral, que mistura o tango com o chamamé, que é um ritmo tradicional das províncias de Missiones e Corrientes; e Mike Augustsson, um bandoneonista sueco que toca pela primeira vez na Argentina.

Nuevos repertorios

Como sempre, o festival abre espaço para a produção dos compositores contemporâneos, que continuam dando vitalidade ao gênero e que fazem com que o tango continue expandindo suas fronteiras entre as novas gerações.

En continuado

Concertos íntimos com formato pequeno na sala de música de câmara da Usina del Arte. Destacam-se a Ronda de cantores, com vozes de diferentes estilos e gerações, e Los dorados veinte (parte II), com músicos de menos de 25 anos.

Orquestra de tango sub 25

Orquestra de tango sub 25

Los acústicos de la Usina

Em uma das melhores salas de música de Buenos Aires, concertos de grandes figuras do tango como Leopoldo Federico, Rodolfo Mederos e a Orquesta de Tango de la Ciudad de Buenos Aires.

Espetáculos de Dança

Os espetáculos do tango dança estão entre as atrações que mais atraem o público, e buscam recuperar a essência do salão de milonga, recorrendo diferentes estilos e linguagens. Este ano se apresentam três referentes de gerações diferentes: o bailarino Pablo Verón se apresenta pela primeira vez no festival; Miguel Angel Zotto, bailarino veterano que será homenageado no Luna Park; e Juan Carlos Copes, um dos nomes mais conhecidos da dança argentina, que apresentará La pesada del tango.

Fiestas y Milongas

As pistas se enchem de milongueiros de todas as idades para bailar nas sedes centrais do festival. Tem pra todos os gostos: tradicionais, com orquestas ao vivo, milongas eletrônicas com DJs e VJs e experimentais.

Aulas de dança

Aula de Tango

Aula de Tango

Outra atividade que costuma convocar muita gente é a parte das aulas de tango, que contam com profissionais reconhecidos tanto do estilo de pista como do tango de palcos. Aulas de técnica e estilo, de principiantes a avançados, tem pra todo mundo. Um destaque é a conferência bailada Mitos e verdades do baile de tango, da bailarina Laura Falcoff, que é sem dúvida a atração número 1 na minha lista de atrações, não perco por nada!

Mundial de Baile

Finalistas tango escenario 2012

Finalistas tango escenario 2012

Sem dúvida é o ponto alto do festival!! Durante todo o ano os casais de bailarinos do mundo todo competem em seus países para poder participar das rodadas classificatórias do Mundial de baile, que acontecem no Centro de Exposições, nas categorias Tango de Pista (tango de salão) e Tango Escenario (tango de palco).

Este ano a inscrição para participar do campeonato bateu um recorde, foram no total 556 casais de 37 países diferentes. Os classificados se encontrarão nas finais de cada categoria que acontecem nos dias 26 e 27 de agosto no Luna Park.

Os bailarinos serão avaliados por um júri profissional e o casal vencedor de cada categoria ganha um prêmio de 40.000 pesos e duas passagens para Paris por cortesia da Air France, entre outros prêmios. É tão emocionante que parece a Copa do Mundo!

Informações práticas

Todas as atividades são grátis. As atividades abertas da Usina del Arte, do Centro de Exposições e do Anfiteatro do Parque Centenario terão ingresso por ordem de chegada até esgotar a capacidade de cada lugar.

Para todas as outras atividades é necessário retirar as entradas previamente. As entradas das finais do mundial no Luna Park serão distribuídas no dia 19 de agosto às 11 horas na bilheteria do Centro de Exposições, até esgotar a capacidade de 10 mil entradas (aviso – tem que chegar muuuuuito cedo e esperar horas na fila, boa sorte!).

Sedes

Centro de Exposições: Avenida Figueroa Alcorta, esquina com Avenida Pueyrredón, em Palermo.

Usina del Arte: Rua Agustín Caffarena 1, esquina com Avenida Pedro de Mendoza, na Boca.

Anfiteatro do Parque Centenario: Avenida Angel Gallardo, esquina Rua Leopoldo Marechal, em Almagro (acesso por metrô da linha B, estação Angel Gallardo)

CCC Teatro 25 de Mayo: Avenida Triunvirato 4444, na Villa Urquiza (acesso por metrô da linha B, estação Echeverria ou Juan Manuel de Rosas)

Luna Park: Avenida Corrientes esquina rua Bouchard (acesso por metrô da linha B, estação Leandro N Além).

Telefone para informações: 0800-333-7848, de segunda a sexta de 10 a 20 horas.

Tango no pé

Tango no pé

Fernanda Galli, direto de Buenos Aires, Argentina.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Twitter | Facebook

Exposição de Van Gogh na Usina del Arte

Vincent Van Gogh em Buenos Aires

Van Gogh em Buenos Aires

Vincent Van Gogh, pintor que nasceu há 160 anos na Holanda e hoje em dia é considerado um dos maiores mestres da pintura (e meu favorito junto a Salvador Dali), ganha uma mega exposição aqui em Buenos Aires. Através de 200 reproduções dividas de maneira cronológica, será possível apreciar a vida e a obra do pintor por uma perspectiva nova,   por meio de fotografia em alta resolução, animações em 3D e uma experiência interativa.

O recorrido está dividido em cinco etapas: Primeiros anos (1880-1886), Paris (1886-1888), Arlés (1888-1889), Saint Rémy de Provence (1889-1890) e termina com Trigal com corvos, que era considerada até pouco tempo como a última obra de Van Gogh. Cada período revela o crescimento artístico, a diferença no manejo das cores e também as técnicas e temáticas do trabalho do artista. A visita pode levar uma hora, especialmente se observamos cada uma das instalações em 3D.

Mostra interativa de Van Gogh em Buenos Aires

Mostra interativa de Van Gogh em Buenos Aires

A exibição acontece em um dos polos culturais mais novos de Buenos Aires, a Usina del Arte, e ocupa dois andares completos. Funciona de terça a sexta, de 11 a 18hs e aos sábados, domingos e feriados, de 12 a 20hs, até o dia 06 de outubro. A entrada custa 10 pesos (adultos) e 5 pesos (crianças). O ingresso pode ser comprado aqui. É uma oportunidade única para conhecer em profundidade a obra de Van Gogh.

Essa exposição faz parte do projeto “Tándem Buenos Aires/Amsterdam”, que durante todo o ano de 2013 promove o intercâmbio cultural entre as duas cidades. Este projeto começou em 2012 e a primeira cidade parceira de Buenos Aires foi Paris. No ano que vem será a vez de Berlim.

A maioria das obras originais do pintor fazem parte do acervo do Museu Van Gogh em Amsterdam, que completa 40 anos em 2013. Em 2012 o museu ficou fechado quase o ano inteiro para uma reforma de suas instalações e foi reaberto em maio. 2013 é um ano de muitas festividades na Holanda, com vários aniversários históricos, arquitetônicos e artísticos e além disso também aconteceu a investidura dos novos monarcas do país, o Rei Guilherme e a Rainha Máxima.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A Usina del Arte

Usina del Arte La Boca

A Usina del Arte, centro cultural do bairro da Boca

A Usina del Arte é um dos espaços culturais mais recentes de Buenos Aires. Ela foi inaugurada em julio de 2011 e funciona no edifício da antiga Usina Don Pedro de Mendoza, no bairro da Boca. Nesse prédio funcionava a Companhia Italo Argentina de Eletricidade, que fornecia toda a eletricidade de Buenos Aires. A Usina faz parte de um projeto para revitalizar a zona sul da cidade, historicamente uma das zonas mais pobres e abandonadas daqui.

Apesar de ser um centro cultural multidisciplinário, o forte da Usina é a música. Há duas salas super modernas para concertos de música clássica com acústica invejável. A maior é para os concertos filarmônicos, com capacidade para 1200 pessoas e outra específica para música de câmara com 400 lugares. Também dispõe de espaços para realização de espetáculos de dança, mostras de artes plásticas e exibições.

Edifício

Edifício

Uma das atrações mais populares da Usina é a instalação “Edifício”, do artista argentino Leandro Erlich, que consiste em uma fachada de um prédio típico de Buenos Aires no chão, que se reflete em um grande espelho suspendido e que devido ao ângulo que está colocado, permite aos visitantes várias brincadeiras com as imagens refletidas, como se estivéssemos pendurados do lado de fora de um prédio. Aviso às mulheres, pra não perder a brincadeira o melhor é ir de calça ou de shorts 🙂

A Usina del Arte já faz parte do calendário de atividades culturais da cidade, sendo sede de vários festivais organizados pelo governo portenho, como o Festival de Tango e o BAFICI. Há visitas guiadas gratuitas aos sábados e domingos de 11 a 17hs.

usina del arte mapa

Mapa da Usina del Arte

Usina del Arte:
Rua Agustín Caffarena 1, esquina Av. Pedro de Mendoza, La Boca.
Facebook: http://www.facebook.com/usinadelarte.bsas
Twitter: @UsinadelArte

As linhas de ônibus que passam perto da Usina são 29, 33, 86, 152, 168 entre outras. A zona onde está a Usina é bem feinha e é melhor andar com cuidado por lá, principalmente de noite, mas vale a pena a visita.

Usina del Arte musica

Sala principal da Usina del Arte

Vincent Van Gogh foi o típico gênio incompreendido que só teve reconhecimento após sua morte. Sofria de vários transtornos psiquiátricos, entre eles paranóia e depressão. Morreu pobre, aos 37 anos de idade, cometendo suicídio (alguns estudos nos últimos tempos sugerem que a sua morte foi acidental). Um ano antes se automutilou, cortando o lóbulo da orelha. O cantor Don McLean escreveu a belíssima música Vincent em sua homenagem, deixo pra vocês um clip dessa música onde apresentam vários trabalhos do pintor.

Fernanda Galli, direto de Buenos Aires, Argentina.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Twitter | Facebook

St. Patrick’s day… está chegando!

No próximo domingo (17 de março) os Irlandeses celebram dia de São Patrício, também conhecido como St Patrick’s Day, um dos padroeiros da Irlanda. Pouco se sabe da vida de Patrick, mas diz A história que aos 16 anos, ele foi raptado por piratas irlandeses e levado para a Irlanda como um escravo. Acredita-se que ele ficou em cativeiro em algum lugar na costa oeste da Irlanda. Ele fugiu quando tinha 22 anos e passou 12 anos em um monastério. Com 30 anos ele voltou para a Irlanda como um missionário cristão. Segundo a história irlandesa, uma das formas de evangelização incluía o uso de um trevo de três folhas para explicar a doutrina da Santíssima Trindade para os irlandeses. Depois de quase trinta anos de evangelização, Patrick faleceu no dia 17 de março de 461 dC.

O Trevo - Shamrock

O Trevo – Shamrock

St. Patrcik até hoje é reverenciado pelos irlandeses devido aos seus grandes feitos na Ilha Esmeralda, tanto é que surgiram inúmeras lendas atribuídas a ele e entre as mais famosas se encontra a de que ele é o responsável por não haver serpentes na Irlanda, já que ele as expulsou com seu cajado, esmagando muitas delas também.

Aqui em Dublin são comemorados 5 dias de festa, sendo que dia 17 de março é o principal, quando ocorre um desfile que sai do centro, na parte norte da cidade (Dublin é dividida, pelo Rio Liffey, em Dublin Norte e Dublin Sul) e segue até a Catedral de St. Patrick e todo o trajeto é formado por um corredor de pessoas que acompanham de perto as alegorias. Nos demais dias são apresentadas peças de teatro, espetáculos musicais e de dança, shows e várias oficinas culturais.

A cidade está esperando a visita de muitos turistas, os pubs já estão decorados, em várias lojas são encontrados diversos tipos de decoração para a grande festa irlandesa. Nas ruas já é possível ver pessoas usando algum apetrecho verde, seja um simples broche ou um extravagante chapéu, isso é Dublin,“celebração”! Os irlandeses adoram festejar e em suas comemorações não pode faltar cerveja, afinal essa data também é lembrada pelo alto consumo de cerveja e pelos pubs lotados, com quase todo mundo bebendo, afinal, esse não é um dia triste e sim uma data histórica e cultural.

Temple bar - Um dos mais famosos pontos turístico de Dublin

Temple bar – Um dos mais famosos pontos turístico de Dublin

Enfim, está chegando o feriado, dia dos desfiles, das pessoas degustarem comidas típicas da Irlanda e beberem cerveja, normalmente Guinness, ou whiskey ou Irish cream. Dia que todas as pessoas querem ser Irish (Irlandeses). No próximo post vou contar como foi a grande festa.

Happy St. Patrick’s Day!

Danielle Santos, direto de Dublin, Irlanda.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Facebook

Tem carnaval na Ásia? Tem sim, senhor!

Foliã no carnaval de Taiwan

Dia desses, estava eu aqui pensando sobre a alegria que reina no Brasil no momento, na galera se preparando pra curtir o carnaval, na preparação das fantasias e na dedicação das pessoas que trabalham dia e noite nos barracões das escolas de samba, e fiquei assim: meio borocoxôNão que eu seja fã de carnaval, muito pelo contrário, me acho desanimada demais pra isso. Até já tive a oportunidade de desfilar em uma escola de samba de São Paulo (faz  muito anos), mas vou confessar pra vocês: acho que não repetiria o feito.

algumas fantasias são confeccionadas por brasileiros

Tá, mas depois de todo esse blá blá blá, vocês devem estar pensando: se a fulana diz não gostar de carnaval – por que cargas-d’água ficou borocoxô? Calma, gente, eu explico: Eu quis dizer que, apesar de não ser lá muito animada pra encarar a maratona de desfiles, blocos, bailes e afins, a sensação de alegria que invade o Brasil nessa época do ano me agrada muito. Eu gosto de ver como as pessoas conseguem esquecer por um momento suas dificuldades e cantam, e sambam, e são felizes. Pode até ser uma falsa felicidade, mas eu sinto uma saudade imensa dessa atmosfera de animação.

E agora, por estar tão longe de casa e saber que por aqui não rola nada parecido, bateu aquela nostalgia… Acho que quem mora há muito tempo fora do Brasil me entende, né? Mesmo aquelas pessoas, que como eu, não curtem tanto o carnaval.

Bom, resulta que estava eu sentada numa cafeteria divagando sobre isso: sobre como o povo brasileiro é único, divertido, alegre, animado, de bem com a vida e tal… E meus olhos foram certinho na revista que minha vizinha de mesa estava lendo. A matéria dizia assim:

“Você não precisa atravessar o mundo para ir ao Rio, no Brasil, curtir o Carnaval, quando há uma festa similar em Taipei, Taiwan todos os anos…”

Como assim? Meu queixo caiu!! E como a minha curiosidade aliada à saudade ninguém segura, nem preciso dizer que corri  pra procurar a bendita revista!! Pois é, li tudinho, me informei e pronto, foi suficiente pra espantar a tristeza pra lá. E é isso aí, minha gente, do lado de cá também rola uma festa um pouco parecida com o nosso famoso carnaval. Quando comecei a ler, achei esquisito pra caramba, porque quando a gente pensa em China, carnaval não é a primeira coisa que nos vem à cabeça, não é verdade?

Mas parece que eles têm investido muito nesse evento. A primeira festa de carnaval em Taiwan ocorreu em 2002 e teve apenas 200 participantes, já em 2012 esse número mudou pra 5.000 participantes. E a cada ano que passa o evento só tem crescido e atraído pessoas de todas as idades e estilos de vida. O carnaval de Taiwan tem um pouquinho do carnaval do Rio de Janeiro misturado com elementos do Mardi Gras, da Nova Orleans, que são combinados com elementos típicos da cultura de Taiwan. É uma misturada danada,  mas mesmo assim eles fazem sua festa e se divertem.

Folião no carnaval de Taiwan

Será que a chinesinha sabe sambar?

Ainda na cafeteria, rebobinei a fita e voltei anos atrás no meu desfile em São Paulo: além da Vai Vai, escola na qual desfilei, ter ficado em penúltimo lugar e por pouco não ter sido rebaixada para o grupo de acesso (acho que ainda por cima sou pé frio… rsrs), a minha bota apertou e fez um calo enorme; a fantasia era muito grande e pesada e me fez uma ferida no ombro; choveu o tempo todo e molhou todas as penas o que fez a fantasia pensar ainda mais; a fila pra comprar uma garrafinha de água era quilométrica e a do banheiro nem se fala; pegar um táxi pra voltar pra casa era quase impossível; tentar enfiar a fantasia com tantos penduricalhos no porta mala do tal táxi um sacrifício, e conseguir chegar em casa depois do exaustante desfile foi uma odisséia.

É, pessoal, acho que senti saudades apenas da alegria mesmo, quando penso no trabalhão que deu todo o preparo prévio pra desfilar e participar de uma festa assim, prefiro ficar aqui, quietinha no meu canto, só saudadeando!! Mas, de qualquer forma, respeito quem curte e tiro o chapéu pra aquelas pessoas que têm energia de sobra pra pular os quatro dias de carnaval.

E, pra quem estiver do lado de cá e quiser relembrar um pouquinho dessa festa tão popular, não custa nada dar um pulinho em Taiwan. Mas eu aviso logo, apesar de algumas fantasias serem confeccionadas por brasileiros e tal…  Quem quiser vir que venha, mas por seu próprio risco – eu não posso garantir que a alegria e o rebolado sejam os mesmos… Rsrs 😉

Aproveitem o Carnaval, pessoal!!

Daisy Schäfer, direto de Hong Kong, China.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Facebook

Adeus ao trenzinho de madeira

Os trens de madeira portenhos deixaram de circular

Uma das curiosidades de Buenos Aires se despediu da cidade na última sexta-feira. Os trens de madeira da linha “A” do metrô fizeram sua última viagem e serão substituídos por trens novos Made in China. Para a modernização da frota, o serviço desta linha estará fechado permanentemente até o dia 08 de março, para o descontentamento de cerca de 150.000 usuários diários e para os locais comerciais que funcionam dentro das estações.

Os trens de madeira, que começaram a operar em 1913 e eram os trens mais velhos ainda em funcionamento no mundo todo, foram construídos pela companhia belga La Brugeoise. Do total de 95 trens, apenas 55 estavam operando, os outros já estavam fora de serviço ou em manutenção.

Detalhes do trem de madeira de Buenos Aires

Com a retirada dos trens de serviço, vários detalhes que faziam parte da viagem também desaparecerão: as portas que abrem e fecham manualmente, os assentos de madeira que parecem bancos de praça, as lâmpadas incandescentes com sua luz amarelada, os espelhos ao lado das portas.

O destino dessas relíquias ainda é incerto. Até agora o governo só especificou o uso que vão dar a algumas unidades. O pátio para onde os vagões foram removidos não tem espaço suficiente para guardar todos eles.

O Secretário de Cultura portenho anunciou que vão transformar alguns dos vagões em bibliotecas públicas. O projeto consiste em 10 estações de leitura que seriam formadas por grupos de dois vagões. A primeira estação seria inaugurada em março e as restantes ao longo do ano.

Os vagões seriam tratados para evitar que fiquem deteriorados quando estiverem ao ar livre, e seriam instalados na zona sul de Buenos Aires, perto do parque Lezama e também em praças ao longo do trajeto da linha “A”, como o Parque Rivadavia e Plaza Flores. Também estariam equipadas com serviço wi-fi gratuito.

Bilheteria antiga na primeira linha de metrô da América do Sul

Outra idéia lançada por ONGs de proteção ao patrimônio era manter os trens funcionando durante o fim de semana como atrativo turístico, mas é praticamente inviável porque a voltagem dos trens novos e velhos é incompatível e a linha vai ter que passar por uma remodelação importante para se adequar aos trens novos.

Ainda existe também a possibilidade de levar os trens a museus que possam conservar uma parte da história da cidade. Para isso será importante a fiscalização e a participação das pessoas para que o patrimônio que os trens representam não desapareça por indiferença das autoridades.

Metro de Buenos Aires

Metro de Buenos Aires

A modernização da frota era algo inevitável, os trens já tinham quase cem anos de uso e careciam de espaço e conforto para viajar. Mesmo assim, as últimas  viagens dos trenzinhos antigos foram marcadas pela nostalgia e pela tristeza que nos causa dizer adeus a  velhos amigos. 

Para ver mais fotos dos trens, visitem o álbum na nossa página do Facebook e se gostaram do post, compartilhem com seus amigos!

Fernanda Galli, direto de Buenos Aires, Argentina.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Twitter | Facebook

Dia Nacional da China

“Mapa-bandeira” da China

Na última segunda-feira os chineses comemoraram seu dia nacional. A data foi marcada por grandes reuniões, discursos políticos e desfiles militares em várias partes do país. O dia 1 de outubro foi escolhido como aniversário da nação em 1949. Nesse dia, o povo chinês, sob a direção do Partido Comunista da China, anunciou a vitória na Guerra da Libertação.  Na cerimônia, o governo de Mao Tse Tung declarou solenemente a fundação da República Popular da China e levantou a primeira bandeira nacional do país.

Mao Tse Tung

Nos últimos anos o governo chinês aumentou o feriado do dia nacional para uma semana, a qual chamou de “Semana de Ouro.” Esse feriado é excelente para o mercado de turismo e, de acordo com o jornal South China Morning Post, a China fatura muitíssimo com a venda de entradas para as atrações turísticas durante esse período. A semana dourada começa no dia 1 de outubro e vai até o dia 7, dando aos chineses tempo suficiente para visitar familiares em diferentes partes da China. De fato, essa é uma época em que milhares de pessoas viajam pelo país, e não apenas os nativos, muitos turistas estrangeiros também se juntam aos viajantes e exploram a região.

Quanto ao festejo do dia nacional, cada cidade dá o seu melhor, Pequim, por exemplo, transforma-se no cenário de um dos maiores desfiles militares do país; pessoas chegam de todos os lados para presenciar tanto o desfile quanto a cerimônia da bandeira.

E Hong Kong, como toda cidade chinesa, não podia ficar de fora das celebrações; na segunda-feira bem cedinho houve a cerimônia da bandeira, ocorrida no Golden Bauhinia Square, em Wan Chai, com a presença de políticos e diplomatas. E, à noite, a comemoração ficou por conta dos fogos de artifício, lançados de barcos desde o Porto Victória.

O espetáculo, que durou aproximadamente 23 minutos, começou às 21 horas e encantou a chineses e estrangeiros. Mas, além das comemorações festivas, Hong Kong foi também palco de protestos: um grupo de manifestantes se reuniu em frente ao escritório chinês pedindo por um auto-governo.

Desfile militar em Pequim

Sair de casa durante esse feriado não é uma tarefa muito fácil, tanto restaurantes como trens e metrôs ficam lotadíssimos, sobretudo nas áreas onde é possível presenciar os fogos de artifício. É uma multidão de chineses e turistas jamais vista. Eu tentei ir à Avenida das Estrelas, em Kowloon, para assistir à queima de fogos e me assustei com a quantidade de pessoas que teve a mesma ideia. Havia filas quilométricas para tomar ônibus ou taxis, foi preciso abrir caminho à força… rsrs

Apesar de todo o esforço, tive que me contentar em assistir aos fogos meio de longe – por causa do tumulto foi impossível me aproximar do porto. Mas, mesmo com toda a correria, empurra-empurra e cotoveladas,  foi bom ver de perto como os chineses comemoram seu dia nacional.

Fogos de artifício em Hong Kong

Em 2012 eles comemoraram 63 anos da nação, e pelo que pude perceber, as celebrações são semelhantes às que fazemos no Brasil. Acredito que a diferença maior está mesmo no fato de o governo presentear o povo com sete dias de feriado e, claro, a quantidade exorbitante de pessoas que sai às ruas.

É sempre muito bom fazer parte de uma festa como essa – é interessante perceber as diferenças e semelhanças que há entre a comemoração chinesa e a brasileira. Presenciar algo assim é uma experiências gratificante… Vale muito a pena, muito mesmo! 🙂

Daisy Schäfer, direto de Hong Kong, China.

Post de boas-vindas | Todos os posts | Perfil | Facebook